inova.jor

inova.jor

Para que serve um computador de pulso

Roberto Soboll, da Samsung, apresenta o Gear S2
Roberto Soboll, da Samsung, apresenta o Gear S2

“Killer app” é a aplicação matadora que faz alguém querer um eletrônico. No caso dos PCs, a killer app foi a planilha eletrônica, que transformou uma máquina usada por hobbistas num equipamento útil à pequena empresa. O celular inteligente é usado principalmente para redes sociais, como Facebook, e serviços de mensagens, como WhatsApp e Snapchat.

Agora, para que serve o relógio inteligente?

Hoje, a Samsung anunciou o lançamento no Brasil de seu Galaxy Gear S2, que chega às lojas no início do próximo mês. Em dois modelos, o relógio tem preço sugerido de R$ 1.900 e R$ 2.100.

A consultoria GfK prevê que, no ano que vem, serão vendidos 115 milhões de computadores vestíveis no mundo, sendo 46 milhões de smartwatches.

Tentativas

A indústria ainda não descobriu, no entanto, para que serve o relógio inteligente. A grande aposta são aplicações de saúde, já que os aparelhos medem batimentos cardíacos e passos.

Roberto Soboll, diretor sênior da Samsung Brasil, afirmou que, para ele, o principal é a medição das atividades físicas. “O Gear até avisa se fico muito tempo parado”, disse Soboll. “Passei até a usar mais as escadas por causa dele.”

Versões anteriores do Gear tinham câmera e microfone, que deixaram de existir no aparelho atual. A ideia da primeira geração de relógios inteligentes era de que eles serviriam como central de avisos do celular, para que se tornasse desnecessário tirar o aparelho do bolso.

Outros fabricantes, como a Apple, também apostam nas aplicações de saúde. Recentemente, entrevistei Jason Chen, presidente mundial da Acer. Ele falou sobre o futuro dos relógios inteligentes: “Em até três anos, acho que teremos medição de pressão. A taxa de glicose deve demorar um pouco mais tempo”.

O Gear S2 segue a tendência de relógios redondos lançada pelo Moto 360, da Motorola, e seguida pelo Apple Watch. O Pebble, que surgiu como um projeto no Kickstater, anunciou sua terceira geração, chamada Pebble Time Round, também arredondado. Modelos anteriores do Gear e do Pebble tinham visor retangular,

O grande desafio dos relógios inteligentes é a duração de bateria. O Apple Watch promete um dia. O Gear S2, entre dois e três. A bateria do primeiro Pebble, que tinha tela em preto e branco com tecnologia de papel eletrônico, durava uma semana. Com o visor colorido do novo, a duração caiu para dois dias.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O smartwatch da Apple deixou recentemente de ter aplicativos importantes como Google Maps / informedmag.com/Creative Commons

Para onde vai o mercado de relógios inteligentes

O relógio inteligente (ou smartwatch) já foi apontado o sucessor do smartphone como grande sucesso do mercado de eletrônicos de consumo. Mas a previsão não se concretizou. No ano passado, as vendas mundiais do produto apresentaram, pela primeira vez na história, queda em faturamento (de 2%, segundo a consultoria Strategy[…]

Leia mais »
Desafios para adotar o conceito de open banking são mais regulatórios que tecnológicos / Luiz Michelini/Divulgação

Por que o banco do futuro é uma plataforma

No ano passado, pela primeira vez na história, os aplicativos foram o principal canal de relacionamento dos bancos com seus clientes. Depois da mobilidade, o próximo passo é que os bancos se transformem em plataformas, conectadas a diversos serviços e dispositivos. Essa é uma tendência que mostrou força durante o[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami