inova.jor

inova.jor

Para que serve um computador de pulso

Roberto Soboll, da Samsung, apresenta o Gear S2
Roberto Soboll, da Samsung, apresenta o Gear S2

“Killer app” é a aplicação matadora que faz alguém querer um eletrônico. No caso dos PCs, a killer app foi a planilha eletrônica, que transformou uma máquina usada por hobbistas num equipamento útil à pequena empresa. O celular inteligente é usado principalmente para redes sociais, como Facebook, e serviços de mensagens, como WhatsApp e Snapchat.

Agora, para que serve o relógio inteligente?

Hoje, a Samsung anunciou o lançamento no Brasil de seu Galaxy Gear S2, que chega às lojas no início do próximo mês. Em dois modelos, o relógio tem preço sugerido de R$ 1.900 e R$ 2.100.

A consultoria GfK prevê que, no ano que vem, serão vendidos 115 milhões de computadores vestíveis no mundo, sendo 46 milhões de smartwatches.

Tentativas

A indústria ainda não descobriu, no entanto, para que serve o relógio inteligente. A grande aposta são aplicações de saúde, já que os aparelhos medem batimentos cardíacos e passos.

Roberto Soboll, diretor sênior da Samsung Brasil, afirmou que, para ele, o principal é a medição das atividades físicas. “O Gear até avisa se fico muito tempo parado”, disse Soboll. “Passei até a usar mais as escadas por causa dele.”

Versões anteriores do Gear tinham câmera e microfone, que deixaram de existir no aparelho atual. A ideia da primeira geração de relógios inteligentes era de que eles serviriam como central de avisos do celular, para que se tornasse desnecessário tirar o aparelho do bolso.

Outros fabricantes, como a Apple, também apostam nas aplicações de saúde. Recentemente, entrevistei Jason Chen, presidente mundial da Acer. Ele falou sobre o futuro dos relógios inteligentes: “Em até três anos, acho que teremos medição de pressão. A taxa de glicose deve demorar um pouco mais tempo”.

O Gear S2 segue a tendência de relógios redondos lançada pelo Moto 360, da Motorola, e seguida pelo Apple Watch. O Pebble, que surgiu como um projeto no Kickstater, anunciou sua terceira geração, chamada Pebble Time Round, também arredondado. Modelos anteriores do Gear e do Pebble tinham visor retangular,

O grande desafio dos relógios inteligentes é a duração de bateria. O Apple Watch promete um dia. O Gear S2, entre dois e três. A bateria do primeiro Pebble, que tinha tela em preto e branco com tecnologia de papel eletrônico, durava uma semana. Com o visor colorido do novo, a duração caiu para dois dias.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Um crescimento de 10% no acesso aumenta o PIB per capita em 1,38% / Edilson Rodrigues/Agência Senado

Como a falta de infraestrutura de banda larga atrasa o Brasil

O Brasil tem um problema sério de oferta de infraestrutura de banda larga. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 11,6 milhões de domicílios brasileiros poderiam pagar pelo serviço, mas ele não está disponível na sua localidade. Ou seja, as empresas que atuam nesse mercado não são nem capazes de atender quem[…]

Leia mais »
Celulares começam a ser capazes de traduzir e de reconhecer imagens, mesmo desconectados / Jorge Gonzalez/Creative Commons

Inteligência artificial chega às bordas das redes

Atualmente, serviços baseados em inteligência artificial rodam em grandes centros de dados, acessados por nossos celulares e computadores. Mas esse cenário começa a mudar. Segundo previsão da consultoria Deloitte, neste ano, um em cada cinco smartphones vendidos no mundo terá capacidade local de aprendizado de máquina. Ou seja, são mais de[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *