inova.jor

inova.jor

Pesquisa do IBGE mostra crescimento do celular no acesso à internet

Os brasileiros compraram mais celulares e menos computadores / Foto: Hernán Piñera/Creative Commons
Os brasileiros compraram mais celulares e menos computadores / Foto: Hernán Piñera/Creative Commons

O acesso à internet estava estagnado no Brasil. Em 2013, a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), havia mostrado que 49,4% dos brasileiros acessavam a rede mundial, um crescimento pequeno em relação aos 49,2% do ano anterior.


Evolução do acesso à internet, segundo a Pnad

Em 2014, esse número deu um salto, para 54,4%, segundo a edição mais recente da Pnad, divulgada na sexta-feira.  Isso aconteceu apesar da queda na posse de computadores nas residências brasileiras. O número de casas com PCs passou de 48,9% para 48,5% do total, e de PCs com internet, de 42,4% para 42,1%. O interessante é que existem 6,4% de residências brasileiras com micros desconectados. O que será que eles fazem com essas máquinas?

O total de residências com celular passou de 89,8% para 91,1%, acompanhando o aumento do acesso à internet. Além da queda dos PCs e do aumento dos telefones móveis, a edição mais recente da Pnad trouxe dois números interessantes: a presença do rádio caiu de 75,7% para 72,1% e do telefone fixo de 38,5% para 37,2%.

Residências brasileiras têm menos PCs e mais celulares

Meios antigos

O telefone fixo e o rádio são os meios de comunicação mais antigos dessa lista. A decadência do telefone fixo só não é mais rápida porque as operadoras de telecomunicações incentivam os combos. Costuma ser mais barato contratar um acesso à internet com o telefone fixo do que sozinho.

O rádio já ocupou uma posição central na vida das pessoas. Um bom exemplo disso é o filme A era do rádio, do Woody Allen, que mostra como era a vida nos Estados Unidos em meados do século passado, durante a Segunda Guerra, e como o rádio ocupava um lugar central na sala.

No Brasil não era diferente. As pessoas ficavam à noite nas casas, sentadas ao redor do rádio, como faziam com a televisão até bem pouco tempo atrás. Apesar de ser um meio extremamente acessível, tem perdido espaço, pelo menos nas casas.

A televisão ficou praticamente estagnada, em 97,1%. E isso é principalmente TV aberta. É um número que mostra como a TV continua sendo um meio importante no Brasil, presente na vida de 97% da população, enquanto a internet chega a 54%.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Infraestrutura: Discussão sobre franquia de dados da banda larga tem se limitado ao acesso / mohsend72/Creative Commons

Falta de investimento pode comprometer internet no Brasil

O Brasil pode voltar a sofrer problemas de conectividade em caso de estagnação dos investimentos em infraestrutura de redes. A expectativa da indústria é que o dispêndio em redes de telecomunicações diminua 15% neste ano, segundo Paulo Castelo Branco, diretor executivo de telecomunicações da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).[…]

Leia mais »
A regulamentação da TV digital é um dos temas tratados no livro sobre as decisões do STF / Gabriel Jabur/Agência Brasília

‘STF é protagonista na evolução do direito das comunicações’

As decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) têm impacto importante na interpretação constitucional da legislação dos setores de comunicação social, telecomunicações, radiodifusão, televisão por assinatura e internet. No livro Temas de Direito das Comunicações na Jurisprudência do STF, o advogado Ericson M. Scorsim – doutor em Direito pela USP, mestre[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami