inova.jor

inova.jor

Saúde móvel pode se tornar a principal aplicação dos vestíveis

Cresce o uso de pulseiras inteligentes, para aplicações de saúde / Emily A. Stewart/Creative Commons
Cresce o uso de pulseiras inteligentes, para aplicações de saúde / Emily A. Stewart/Creative Commons

Os computadores vestíveis, como relógios inteligentes, já são tendência há alguns anos, mas a maioria das pessoas ainda não sabe muito bem o que fazer com eles.

Uma pesquisa da Accenture mostra que uma aplicação de sucesso é na área da saúde móvel, segundo a Business Insider. A consultoria ouviu mais de 8 mil consumidores em sete países.

Desse total, 33% reponderam que usavam aplicativos de saúde, comparados a 16% em 2014, e 21% adotavam vestíveis, como os produtos da Fitbit, frente a somente 9% há dois anos.

A pesquisa trouxe outros dados interessantes. Noventa por cento dos respondentes compartilhariam dados com médicos e hospitais, mas somente 63% aceitariam tornar suas informações disponíveis para empresas de seguros.

Novas funcionalidades

Em setembro de 2015, entrevistei o presidente mundial da Acer, Jason Chen. Para o executivo, a aplicação dos vestíveis à saúde vai se massificar quando os dispositivos ganharem novas funcionalidades, como a capacidade de medir a pressão e a taxa de glicose no sangue.

“Em até três anos, acho que teremos medição de pressão. A taxa de glicose deve demorar um pouco mais tempo. As pessoas realmente precisam disso”, disse Chen naquela ocasião.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Jason Chen, presidente mundial da Acer, visita o Brasil

Acer estuda lançar smartphone no Brasil

A Acer apresentou hoje, em São Paulo, cerca de 30 produtos novos, como notebooks conversíveis e computadores portáteis voltados para gamers. O lançamento de hoje também marcou a entrada da empresa em mais um mercado no País, de projetores. Em visita ao Brasil, Jason Chen, presidente mundial da empresa, falou bastante sobre mobilidade.[…]

Leia mais »
Um crescimento de 10% no acesso aumenta o PIB per capita em 1,38% / Edilson Rodrigues/Agência Senado

Como a falta de infraestrutura de banda larga atrasa o Brasil

O Brasil tem um problema sério de oferta de infraestrutura de banda larga. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 11,6 milhões de domicílios brasileiros poderiam pagar pelo serviço, mas ele não está disponível na sua localidade. Ou seja, as empresas que atuam nesse mercado não são nem capazes de atender quem[…]

Leia mais »

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami