inova.jor

inova.jor

Quem ainda precisa comprar um carro

Aluguel do carro pode sair de graça, dependendo do número de viagens / Domínio Público
Aluguel do carro pode sair de graça, dependendo do número de viagens / Domínio Público

A combinação de carros autônomos com serviços como Uber e Lyft pode tornar obsoleta a ideia de comprar um automóvel. Enquanto os veículos sem motorista não chegam ao mercado, as montadoras vão se preparando para esse cenário.

Ontem, a General Motors anunciou nos Estados Unidos a oferta de aluguel de carros para motoristas do Lyft, concorrente do Uber. Dependendo do número de corridas semanais, o automóvel pode sair de graça.

O programa Express Drive começou em Chicago, com 125 carros do modelo Chevy Equinox. A GM tem planos de expandir a iniciativa para mais três cidades norte-americanas: Baltimore, Boston e Washington.

John Zimmer, cofundador do Lyft, afirmou que, somente em Chicago, 60 mil pessoas se inscreveram como motoristas do Lyft, mas foram rejeitadas por não ter um carro bom o suficiente, segundo o TechCrunch.

O Express Drive oferece o carro por US$ 99 por semana, mais US$ 0,20 por milha, para quem faz menos de 40 corridas semanais; por US$ 99, sem pagamento adicional, para que faz de 40 a 64 corridas; e de graça para que faz 65 corridas ou mais.

A GM será responsável pelo custo de manutenção dos veículos, e o pagamento do seguro será dividido com o Lyft.  Não haverá compartilhamento de receita das corridas, de acordo com o Business Insider.

Há dois meses, a montadora investiu US$ 500 milhões no aplicativo de motoristas, principalmente como preparação para a chegada dos carros autônomos.

Mobilidade

Durante o evento Mobile World Congress, que aconteceu em fevereiro em Barcelona, o presidente da Ford, Mark Fields, afirmou que sua empresa passou a ser uma empresa de “automóveis e mobilidade”.

A Ford opera em Londres o serviço GoDrive, em que oferece carros alugados por minuto. O programa Peer-2-Peer permite a pessoas que estejam pagando financiamento alugar o carro para terceiros.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Maioria já sabe que é possível pagar com o celular, afirma Edlayne Altherman Burr, da Accenture / Renato Cruz/inova.jor

O que falta para a massificar os pagamentos móveis

A fase de divulgação dos sistemas de pagamentos móveis já passou. Segundo Edlayne Altherman Burr, diretora da Accenture, 56% das pessoas já sabem que dá para pagar com o celular. “Antes, a prioridade era a educação dos consumidores”, explica Burr, que participou hoje do evento Cards Payment & Identification 2017, em[…]

Leia mais »
Drone apresentado na CES 2015

CES 2016: Para onde vai o mercado de eletrônicos

Vivemos tempos interessantes. Os objetos estão cada vez mais conectados, mas ninguém sabe ainda quais serão os vencedores do mercado de “internet das coisas”, que vão substituir os computadores (que enfrentam vários trimestres de queda de vendas) e os smartphones (que passam por um período de desaceleração). Nesta semana, acontece[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami