inova.jor

inova.jor

Por que é difícil desligar a TV analógica

Ana Cláudia Souza é beneficiária do Bolsa Família e recebeu o kit de TV digital / Ana Nascimento/MDS
Ana Cláudia Souza é beneficiária do Bolsa Família e recebeu o kit de TV digital / Ana Nascimento/MDS

O decreto presidencial que criou a TV digital em 2006 previa que os canais analógicos seriam desligados neste ano. O espectro ocupado por eles será usado para ampliar a telefonia celular de quarta geração (4G).

Primeiro, a data final do desligamento foi remarcada para 2018. Depois, a experiência mostrou que esse prazo também não é factível. Na maioria das cidades, o apagão analógico acontecerá somente em 2028.

Rio Verde, em Goiás, foi a cidade-piloto desse processo. Lá, o desligamento, inicialmente previsto para novembro de 2015, aconteceu somente em fevereiro deste ano. Inicialmente, foram oferecidos kits gratuitos com conversor e antena para os beneficiários do Bolsa Família. Não foi o suficiente.

O benefício precisou ser ampliado para os cidadãos inscritos no Cadastro Único (do qual o Bolsa faz parte), que equivalem ao dobro do número de pessoas previsto inicialmente.

“Com o trabalho em Rio Verde, percebemos que não vai ser possível desligar o País inteiro até 2018”, disse Antonio Carlos Martelletto, diretor geral da Entidade Administradora da Digitalização (EAD). O desligamento nos próximos dois anos ficou limitado a 61 grandes centros urbanos, que concentram uma população de 127 milhões.

“Nas demais cidades, o espectro já está descongestionado e é possível liberar a faixa de 700 MHz (que será ocupada pelo 4G) sem desligar a TV analógica”, explicou Martelleto, acrescentando que até mesmo as capitais das Regiões Norte e Nordeste, que entraram no cronograma até 2018, poderiam ter ficado para 2023.

A EAD foi criada por Vivo, TIM, Claro e Algar, as operadoras de telecomunicações que compraram em 2014 as novas licenças de 4G. A Oi não participou do leilão. A entidade tem um orçamento de R$ 3,6 bilhões para tornar possível o desligamento da TV analógica.

Além da distribuição de conversores e antenas, a EAD deve financiar remanejamento de canais, quando isso for necessário para liberar o espectro do 4G, e medidas de mitigação de interferência.

Alcance da TV aberta

A meta para o desligamento dos canais analógicos era de que 93% das residências tivessem recepção digital. Em Rio Verde, os canais foram desligados com 85% das residências capazes de receber o sinal digital.

“Em Rio Verde, dobramos a capacidade de atendimento do call center depois do desligamento, mas não houve aumento de chamadas”, disse Martelleto. Naquela cidade, 25 mil famílias tinham direito ao kit, e foram distribuídos 15 mil. No Brasil todo, a previsão são 13 milhões de famílias.

A edição mais recente da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que 97,2% das residências brasileiras têm televisão.

“Mais ou menos 40% dependem da TV terrestre e, nos grandes centros, esse percentual é menor”, afirmou Gunnar Bedicks, diretor técnico da EAD.

Bedicks aponta que cerca de 19 milhões de residências são atendidas pela TV paga e cerca de 15 milhões usam parabólica. “A TV aberta está restrita à população de baixa renda”, completou o diretor da EAD.

A próxima cidade a ter o sinal analógico desligado é Brasília, em 26 de outubro deste ano. Para São Paulo, a data é 29 de março.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Antonio Quintas, diretor sênior de Mobile da Samsung, apresenta os novos modelos A5 e A7 / Mariana Lima / inova.jor

Samsung investe na marca depois dos problemas com o Note 7

A Samsung vai investir pesado em marketing neste ano para reforçar sua marca no Brasil. A decisão foi tomada depois dos problemas enfrentados em 2016 pelo Galaxy Note 7, um de seus aparelhos de topo de linha, que foi retirado do mercado mundial depois de dezenas de celulares pegarem fogo. “O Brasil é um mercado muito[…]

Leia mais »
O aparelho de tubo não precisa ir para o lixo: ele pode ser usado com um conversor e uma antena UHF / Roberto Tietzmann/Creative Commons

Por que a TV analógica vai ser desligada amanhã em São Paulo

O desligamento da TV analógica está marcado para amanhã (29/3) em São Paulo. Hoje, o Grupo de Implantação da TV Digital (Gired) decidiu que a cidade tem condições para ter somente o sinal digital. Segundo o Ibope, 92% das residências da região metropolitana de São Paulo estão prontas para ver a TV[…]

Leia mais »

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami