inova.jor

inova.jor

Agronegócio mantém crescimento com tecnologia

Produtores fazem análise de informações em tempo real com software de business intelligence / Kessy Silva/Creative Commons
Produtores analisam informações em tempo real com sistemas de business intelligence / Kessy Silva/Creative Commons

No ano passado, quando o Produto Interno Bruto brasileiro caiu 3,8%, o único setor econômico a apresentar crescimento foi a agropecuária, que avançou 1,8%. Para ser competitivo no mercado internacional, o agronegócio faz uso intensivo de tecnologia.

A tecnologia aplicada às commodities agrícolas vai de sementes geneticamente modificadas a internet das coisas para monitorar o plantio.

A Qlik, que fornece sistemas de visualização de dados, tem casos importantes no setor, em empresas como Syngenta e El Tejar.

A Syngenta oferece para seus distribuidores o Agroview, uma ferramenta de desenvolvida a partir do QlikView, da Qlik. Antes do projeto, a empresa adotava sete sistemas diferentes para trocar informações com os distribuidores. Hoje, usa somente o Agroview.

“Verificamos que havia uma deficiência na gestão de negócios nos nossos distribuidores”, afirma Cauê Tavares, gerente de Operações Comerciais da Syngenta. “O programa foi idealizado no fim de 2014, e inclui uma consultoria de negócios e a implantação do Agroview.

Atualmente, 21 distribuidores usam o sistema. Até o fim da safra, em abril de 2017, o objetivo é chegar a 176.

O Agroview é aplicado em três frentes: comercial (gestão de informações de vendas), financeira (análise de crédito, contas a pagar e a receber) e recursos humanos (análise quantitativa e qualitativa do desempenho dos colaboradores).

“Anteriormente, o distribuidor demorava quatro ou cinco dias para fechar os relatórios do mês anterior”, explica Tavares. “Hoje, as informações estão disponíveis em tempo real.”

A Syngenta tem somente acesso às informações sobre a venda de seus próprios produtos, que são defensivos agrícolas e sementes. Os distribuidores têm controle de toda a sua operação pelo Agroview.

Tomada de decisão

Na El Tejar, o QlikView é usado desde 2009. Há pouco mais de dois anos, o software passou a ser adotado para visualizar os indicadores em tempo real, para tomada de decisão. Antes, era aplicado somente para geração de relatórios. De origem argentina, a El Tejar é uma das maiores empresas do agronegócio na América do Sul.

“Temos hoje acesso a qualquer informação em menos de três horas”, afirma Cesar Oliveira, gerente de Tecnologia da Informação da El Tejar. “Antes, somente no setor de compras, precisávamos de dois analistas para fazer o relatório do dia anterior.”

A El Tejar conectou o QlikView diretamente ao seu sistema de gestão, fornecido pela SAP. Com isso, melhorou sua eficiência operacional em 7% na safra 2015/2016, em comparação com período anterior. No frete, diminuiu os custos em cerca de 10%.

“O agronegócio tem disponível um volume de dados muito grande”, aponta Eduardo Kfouri, vice-presidente da Qlik para a América Latina. “O QlikView consegue integrar informações de várias fontes numa só base de dados.”

Rede social

A Bayer lançou há um ano a Rede AgroServices, que funciona, ao mesmo tempo, como uma rede social do agronegócio e um programa de fidelidade da empresa, em que clientes podem trocar pontos por produtos e serviços de diversos fornecedores.

“O centro da nossa estratégia é o produtor rural”, afirma Ivan Moreno, diretor de Acesso ao Mercado da Bayer. “A Rede AgroServices é uma plataforma colaborativa e também um marketplace, em que prestadores de serviços oferecem suas soluções.”

Participam da rede 60 mil produtores rurais pequenos e médios, 450 grandes produtores, 320 distribuidores, 110 cooperativas, 60 pesquisadores e 110 prestadores de serviço. Trata-se de um projeto brasileiro, que deve ser levado para outros países da América Latina.

“Como existem 300 mil produtores rurais no Brasil, temos 20% do mercado na rede”, diz Moreno. “Além de criar mais fidelidade de nossos clientes, conseguimos capturar com mais velocidades os insights que vêm do produtor.”

Ele cita como exemplo uma discussão recente dos participantes sobre Cadastro Ambiental Rural. As consultorias que participam da rede viram nessa conversa uma oportunidade e o Santander, um dos parceiros da rede, criou uma promoção em que seus clientes pagavam somente metade do preço da consultoria.

Outro exemplo foram conversas sobre dificuldades de armazenagem. Os produtores rurais resgataram no sistema 800 silobags (bolsas plásticas para armazenamento) num mês. “Levando-se em conta que o mercado brasileiro é de 30 mil por ano, foi um número considerável”, diz o diretor da Bayer.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Até 2020, o mercado de casas inteligentes deve gerar € 122,7 bilhões / Divulgação

Quando os eletrodomésticos se conectam à internet

Controlar aparelhos domésticos à distância é uma funcionalidade cada vez mais próxima da vida das famílias. A expectativa é que o mercado de casas inteligentes (smart home) tenha uma forte expansão nos próximos anos. E o Brasil não deve ficar de fora. O estudo How to create growth from the connected home, da Deutsche[…]

Leia mais »
Geotecnologias: A Agrotools quer oferecer serviços em nuvem ao pequeno produtor / Secretaria de Agricultura e Abastecimento/Creative Commons

Startup oferece plataforma de compra e venda para o agronegócio

Em tempos de recessão, o agronegócio está entre os poucos setores que crescem no Brasil. Segundo a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o avanço somou 4,28% nos primeiros dez meses de 2016. A WebGados foi criada para aproveitar esse cenário. Inicialmente, a ideia era criar uma plataforma de comercialização online de gado de corte e[…]

Leia mais »

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami