inova.jor

inova.jor

Pulseira substitui cartão de débito

Orlando Purim Jr. comanda a Atar, que criou uma pulseira inteligente / Renato Cruz/inova.jor
Orlando Purim Jr. comanda a Atar, que criou uma pulseira inteligente / Renato Cruz/inova.jor

A Atar, startup sediada em Timbó (SC), criou uma pulseira inteligente, que substitui o cartão de débito. Ela funciona com tecnologia NFC (sigla em inglês de comunicação de proximidade). Para pagar, é só aproximá-la do leitor de cartões e digitar a senha.

“Oitenta e cinco por cento dos leitores de cartões no Brasil têm NFC”, afirma Orlando Purim Jr., de 25 anos, diretor executivo e cofundador da Atar. O produto encontra-se em pré-venda, por R$ 249. Quem comprar agora deve receber a pulseira em agosto.

A Atar Band funciona como um cartão pré-pago. O usuário emite um boleto e transfere dinheiro para a pulseira. Segundo Purim Jr., com o sistema de controle de gastos do aplicativo que acompanha o produto é possível fazer previsões de quanto transferir a cada mês.

A mensalidade da Atar Band é de R$ 7, com isenção nos três primeiros meses. O primeiro boleto mensal é grátis, e os outros custam R$ 3 cada.

O empreendedor destaca que a pulseira é à prova d’água e não tem bateria. O aplicativo apresenta notificações a cada compra e registra o histórico de pagamentos.

Apesar de promissor, o mercado de vestíveis ainda precisa se provar. O dispositivo mais famoso é o Apple Watch, que também faz pagamentos por NFC. “A Atar Band é especializada em pagamentos e tem preço muito menor”, destaca Purim Jr.

A Atar fez um teste com 100 usuários. “A pulseira foi apontada como meio preferencial de pagamento por 77 pessoas que participaram do teste”, diz o empreendedor.

Investimento

Desde sua fundação, a Atar recebeu investimento de R$ 1 milhão. A empresa faz parte do programa Sinapse da Inovação, de Santa Catarina, e também recebeu aporte de um investidor anjo do mercado financeiro de São Paulo.

Criada há dois anos e meio, tem uma equipe de oito pessoas, incluindo os três sócios fundadores. A empresa busca acordos para que tíquetes e créditos de programas de fidelidade também possam ser usados por meio da pulseira.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Índice de confiança em tecnologia e instituições financeiras deve alavancar mercado de fintechs / Jason Howie / Flickr / Creative Commons

Confiança do brasileiro beneficia fintechs

As fintechs, empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros, devem crescer exponencialmente no Brasil nos próximos anos. O cenário positivo é baseado no aumento da confiança no setor de tecnologia e nas instituições financeiras brasileiras. As conclusões fazem parte do Trust Barometer, estudo realizado anualmente pela Edelman em 18 países. Segundo[…]

Leia mais »
Federico Flórez, da Ferrovial, participou de evento da CIONet Brasil / Divulgação

Qual é o lugar da inovação na grande empresa?

As atividades de inovação e de tecnologia da informação devem ficar sob a responsabilidade do mesmo executivo? Esse é o modelo adotado pela Ferrovial, empresa espanhola de infraestrutura. Na semana passada, seu diretor de Informação e Inovação, Federico Flórez, participou em São Paulo de um evento da CIONet Brazil, rede de[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami