inova.jor

inova.jor

Quais são os desafios de ser um líder inovador

Líder inovador: Curso da THNK será oferecido no Brasil em junho / Divulgação
Curso da THNK, escola holandesa de liderança criativa, será oferecido no Brasil em junho / Divulgação

A inovação exige trabalho duro. Um grande desafio das empresas é, depois de coletar ideias, colocar em prática os projetos de inovação.

Mark Vernooij, sócio da THNK, escola holandesa de liderança criativa, conversou com o inova.jor, sobre os desafios de ser um líder inovador. Ele destacou cinco características:

Líder inovador: Mark Vernooij é sócio da THNK / Divulgação
Mark Vernooij é sócio da THNK / Divulgação
  1. É preciso ter uma mentalidade exploratória.
  2. É necessário saber o que quer fazer e o porquê.
  3. O líder deve ter muita paixão pelo que faz.
  4. Ele deve ser capaz de ver o mundo de maneira diferente.
  5. Também deve conseguir inspirar outras pessoas para que elas sigam sua visão.

“O líder inovador é curioso e olhar para fora em busca de coisas novas e interessantes”, explica Vernooij. “A inovação é realmente difícil. Então, para que ela aconteça, é necessário ter muita paixão.”

De 8 a 10 de junho, será em São Paulo o Programa de Liderança Criativa Global da THNK, em parceria com a Polifonia.

Design thinking

O curso trabalha com ferramentas de design thinking, metodologia para resolver problemas e descobrir oportunidades. “Não é um curso de design thinking, apesar de usar a ferramenta”, explica Daniel Gurgel, sócio da Polifonia.

Antes de fechar a parceria com a THNK, Gurgel fez a versão estendida do curso, em 18 meses, em Amsterdã.

“O curso propõe atividades em grupo que ajudam a mudar a mentalidade do executivo”, diz o fundador da Polifonia. “Entre outros pontos, o aluno aprende a importância da prototipação e de entender o usuário.”

Este é o segundo ano em que o curso da THNK é oferecido no Brasil. Segundo Vernooij, a escola tem interesse em estabelecer presença no País.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Coworking Impact Hub chega a Manaus

Compartilhar espaços e promover integração entre pessoas são atividades cada vez mais comuns no cotidiano das grandes metrópoles. Em Manaus, cuja economia tem como base os chãos de fábrica do polo industrial, os coworkings podem parecer pouco viáveis. Esses espaços colaborativos de trabalho, no entanto, têm conquistado muitos adeptos na cidade. Atualmente, Manaus[…]

Leia mais »
Stefanini afirma que outros países não fazem diferença entre atividade meio e atividade fim na terceirização / Renato Cruz/inova.jor

Stefanini: ‘Terceirização traz investimento e crescimento’

A Stefanini é uma empresa brasileira de tecnologia da informação que atua em 39 países. No Brasil, emprega 12 mil funcionários. O inova.jor conversou com Marco Stefanini, presidente global e fundador do grupo que leva seu nome, sobre a projeto de lei de terceirização aprovado ontem (22/3) pela Câmara. O[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami