inova.jor

inova.jor

São Paulo é a 19ª cidade para mulheres empreendedoras

Empreendedoras: O índice demonstra as cidades mais abertas a empreendedorismo feminino / Divulgação / Dell
Índice da Dell aponta as cidades mais abertas ao empreendedorismo feminino / Dell/Divulgação

São Paulo é considerada a 19.ª cidade com melhores condições para mulheres empreendedoras do mundo. Em contrapartida, está entre as cidades em que elas encontram a maior dificuldade de conseguir capital para suas empresas.

A conclusão faz parte do estudo sobre empreendedorismo feminino realizado pela Dell e divulgado nesta semana. O índice Dell Women Entrepreneur Cities (WE Cities) analisa como as cidades atraem e promovem o crescimento de empresas lideradas por mulheres.

O estudo avaliou as cidades levando em consideração capital, tecnologia, talento, cultura e mercado. Nova York foi considerada a melhor cidade para empreendedoras, seguida da Baía de São Francisco, Londres, Estocolmo e Cingapura.

No âmbito cultural, São Paulo ficou entre as dez melhores. Nesse item são observados como os aspectos culturais da cidade interferem positivamente no empreendedorismo feminino, como a existência de políticas de diminuição de diferenças de gênero e organizações de mulheres empresárias.

A cidade brasileira foi considerada também a terceira do ranking de atitudes e expectativas para essas mulheres empreendedoras.

Capital

O acesso ao capital foi apontado como o principal desafio das empreendedoras de São Paulo, Munique, Istambul, Milão e Joanesburgo.

Apesar da dificuldade, as empreendedoras possuem papel de destaque em momentos de crise. Elizabeth Gore, Entrepreneur-in-Residence na Dell, destacou, em comunicado, a importância das mulheres para o mercado:

As mulheres empreendedoras são a melhor aposta do país para o crescimento econômico. É hora de as mulheres estarem politicamente engajadas para garantir que os ecossistemas certos sejam implementados, para elas crescerem. Se políticos e empresários formarem parcerias, políticas dinâmicas podem ser postas em prática para fechar o círculo e melhorar o processo da ideia até a empresa. O índice WE Cities pode ser usado como uma ferramenta de diagnóstico para ajudar a garantir que os legisladores estejam atentos às suas necessidades.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

As inscrições para o Braskem Labs Challenge terminam em 11 de agosto / Divulgação

Braskem Labs apresenta oito desafios a startups

A segunda edição do Braskem Labs Challenge busca soluções de startups para oito desafios internos da companhia. Com prazo até 11 de agosto, as inscrições devem ser feitas aqui. As empresas selecionadas terão oportunidade de realizar um piloto em unidades industriais ou áreas administrativas da Braskem. As soluções apresentadas devem[…]

Leia mais »
Oxigênio, da Porto Seguro, busca startups para aceleração / Divulgação

Oxigênio Aceleradora busca startups em estágio mais avançado

A Oxigênio, aceleradora de startups da Porto Seguro, busca startups que estejam em estágio mais avançado, num novo programa chamado Tração. As inscrições vão até 27 de maio. O programa vai investir de R$ 350 mil a R$ 500 mil em cada empresa, que devem ter valor de mercado de[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami