inova.jor

inova.jor

Hughes lança banda larga via satélite para residências

A Hughes anunciou banda larga via satélite para residências no Brasil / Mariana Lima/inova.jor
A Hughes anunciou banda larga via satélite para residências no Brasil / Mariana Lima/inova.jor

O Brasil será o primeiro país, depois dos Estados Unidos, a receber banda larga residencial por satélite oferecida pela Hughes. A aposta da empresa são regiões do país que não têm banda larga ou que são atendidas por serviços de baixa qualidade.

A partir de 1.º de julho, consumidores e pequenos empresários de São Paulo e Minas Gerais poderão contratar a banda larga da HughesNet. O serviço funciona na banda Ka, faixa de satélite de alta capacidade que permite custos mais baixos.

Os valores estão acima dos serviços de banda larga fixa. O plano residencial mais simples, com velocidade de download em 10 megabits por segundo (Mbps) custará aos clientes R$ 249,90 mensais, com uma franquia de dados de 15 gigabytes.

Pacote noturno

Para atrair os usuários, a Hughes aposta num pacote noturno extra. No plano residencial mais simples, por exemplo, 20 gigabytes de “dados extra” são disponibilizados entre meia-noite e 7h.

“Quando esgotar a franquia, o usuário poderá continuar a trafegar uma velocidade de 500 quilobits por segundo a 1 Mbps. Pensando no público que queremos atingir, essa é a velocidade média que eles pagam hoje para um serviço sem esgotar a franquia”, afirma Rafael Guimarães, presidente da Hughes Brasil.

Após o uso completo da franquia disponível no pacote, a empresa estipulou o valor de R$ 29,90 para cada 1 gigabyte extra.

Os outros dois planos residenciais são de 15 e 20 Mbps e custam, respectivamente, R$ 349,90 e R$ 449,90 por mês. No ato de adesão, é cobrada uma taxa de  R$ 359,90 para dar início a qualquer um dos planos residenciais.

As pequenas e médias empresas também são foco da HughesNet, com pacotes com velocidade de download entre 15 Mbps e 25 Mbps. As mensalidades custam de R$ 459,90 a R$ 859,90. A taxa de adesão para o serviço empresarial é de R$ 469,90.

Apesar dos valores mais altos, o presidente da Hughes no Brasil diz que há pesquisas que comprovam a existência de público interessado no serviço.

“A falta de acesso a banda larga ocorre no Brasil por duas formas: as pessoas não podem pagar pelo serviço ou não têm uma banda larga de qualidade disponível. Vamos resolver esse segundo eixo da exclusão digital”, disse Guimarães.

A expectativa é que, durante a primeira fase de implementação, cerca de 4 mil cidades do Sudeste, parte do Centro-Oeste e Nordeste do país possam contratar a banda larga da Hughes. Até 2018 a Hughes quer ampliar o serviço para 90% do território nacional e, até 2020, estar disponível em todo o País.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O Google tem investimento direto em 11 cabos submarinos, inclusive no Brasil / Divulgação

Google amplia investimento em cabos submarinos

O Google tornou-se uma operadora de telecomunicações? Por muito tempo, as empresas tradicionais desse mercado têm se queixado das chamadas OTTs, sigla de over the top, companhias que prestam serviços via internet. As teles costumam reclamar do crescimento explosivo de tráfego de dados, que, segundo elas, não remunera o investimento[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami