inova.jor

inova.jor

Como as startups contribuem para a economia

No ano passado, 1.569 startups se inscreveram no programa 100 Open Startups / Divulgação
No ano passado, 1.569 startups se inscreveram no programa 100 Open Startups / Divulgação

O mercado de startups tem crescido nos últimos anos no Brasil, mantendo-se atrativo até mesmo em período de crise econômica.

É o que indica estudo da Associação a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas empresas (Sebrae).

O Estudo de impacto econômico, segmento de incubadoras de empresas do Brasil aponta que o faturamento de empresas apoiadas por incubadoras já ultrapassa R$ 15 bilhões anuais.

O setor gera ainda 53.280 empregos diretos, numa época de economia em recessão com constantes altas no índice de desemprego.

Ecossistema

O relacionamento das startups com grandes empresas é um ponto importante do dinamismo desse mercado.

Por um lado, esse tipo de acordo reduz o risco das startups, ao garantir uma fonte importante de receita para as empresas iniciantes. Por outro, traz dinamismo e inovação à operação das grandes corporações.

O programa 100 Open Startups proporciona o encontro entre novas empresas e companhias já consolidadas.

A expectativa é que 100 empresas iniciantes sejam selecionadas para a segunda edição do projeto, que tem inscrições abertas até 15 de agosto.

No ato da inscrição, é preciso escolher em qual dos 20 desafios temáticos da sociedade a startup pode contribuir com soluções. Há desafios nas áreas de saúde, educação, energia, moda e urbanização, entre outros.

As propostas são avaliadas por especialistas e executivos de empresas como 3M, IBM, Abbott, Natura, Whirpool e Boticário.

Caso o projeto seja de interesse das empresas, será agendada uma apresentação em evento em 12 cidades brasileiras e outras nove no exterior.

Realizada ano passado, a primeira edição contou com 1.569 inscritos, 53 contratos firmados e outros 692 em fase de negociação, segundo a organização.

Neste ano, o programa pretende atrair também empresas de outros países, que estejam prontas para receber investimento.

Ao fim do programa, será criado um ranking das startups mais atraentes para o mercado, tendo como base uma pontuação definida pelas empresas parceiraas do projeto.

No ano passado, a líder do ranking foi a startup paulistana Learn Survey, que faz pesquisas presenciais via crowdsourcing.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A segunda edição do workshop sobre inovação na mídia será realizado no CO.W Berrini / Renato Cruz/inova.jor

Inscreva-se no workshop sobre inovação na mídia

O mercado de comunicação tem mudado rapidamente. Avanços tecnológicos tornam possíveis novos modelos de comunicação, ao mesmo tempo em que colocam em risco negócios estabelecidos. Conduzido por Renato Cruz, editor do inova.jor, o workshop vai apresentar conceitos de inovação e discutir as ameaças e as oportunidades trazidas por tecnologias emergentes como interfaces de voz, internet das[…]

Leia mais »
Vencedor do desafio da Roche deve ser anunciado em novembro / Marcello Bravo/Divulgação

Roche e 100 Open Startups lançam desafio sobre oncologia

A farmacêutica Roche e o Movimento 100 Open Startups lançaram o desafio Transformando a Jornada Oncológica, para startups e grupos de pesquisa e desenvolvimento com projetos na área da saúde. As inscrições podem ser feitas até 31 de julho. O vencedor será anunciado em novembro, e receberá da Roche: serviços[…]

Leia mais »

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *