inova.jor

inova.jor

‘Nunca faço business plan quando começo um negócio’

Antes da Brasil/CT, Marcos Wettreich criou o iBest e a MLab / Divulgação
Antes da Brasil/CT, o empreendedor Marcos Wettreich criou o iBest e a MLab / Divulgação

Marcos Wettreich é um pioneiro da internet brasileira. Quem acompanhou a chegada da operação comercial da rede no Brasil, há pouco mais de duas décadas, lembra-se da revista Internet World e da empresa de eventos Matel, dois empreendimentos de Wettreich.

Também deve se lembrar do iBest, que surgiu como prêmio e acabou se transformando em provedor de acesso gratuito, e da MLab, que desenvolvia websites. Assim como a Internet World e a Matel, foram empresas fundadas e vendidas pelo empreendedor.

Depois disso, ele criou um site chamado WeShow, em que as pessoas votavam nos melhores vídeos publicados em serviços como YouTube e Dailymotion. “Chegamos a ser o maior agregador de vídeos do mundo em 2007”, conta o empreendedor.

Atualmente, Wettreich está à frente da Brasil/CT. A empresa opera o e-commerce de grandes marcas no Brasil, como Avon, Disney, Whirpool, Tramontina e Mattel. Além disso, a Brasil/CT também é responsável pelo Mercado PME, especializado no comércio eletrônico entre empresas.

Criada em 2010, a Brasil/CT começou, no ano seguinte, a operar o programa de fidelidade do Banco Santander. “O maior volume de transações ainda é do Santander”, afirma Herbert Cepera, diretor de operações da Brasil/CT.

Plano de negócios

Wettreich tem mais de três décadas como empreendedor. “Nunca faço business plan quando começo um negócio“, afirma. “A chande de um negócio mudar ao longo do tempo é de 99,9%.”

Na internet brasileira, existem quatro grandes marketplaces: MercadoLivre, WalMart, B2W (Submarino, Americanas e Shoptime) e Cnova (Extra, Ponto Frio e Casas Bahia).

Quando um fabricante terceiriza sua operação, a Brasil/CT torna-se responsável por colocar seus produtos nesses marketplaces. “Já estamos conectados a eles, o que nos torna a maior integradora da indústria com a nuvem de consumidores online”, diz Wettreich.

Em maio, a Brasil/CT recebeu um aporte de R$ 35 milhões do fundo Invest Tech. Segundo seu fundador, a empresa já é lucrativa desde 2014, e faturou R$ 134 milhões no ano passado.

Com cerca de 160 funcionários, a Brasil/CT tem sede em São Paulo e centros logísticos em Barueri.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Fabricante de pulseiras e caixas de som inteligentes, a Jawbone chegou a valer US$ 3 bilhões / Kazuhiro Keino/Creative Commons

Quando startups promissoras fracassam

Unicórnios são empresas de tecnologia de capital fechado que valem mais de US$ 1 bilhão. A Jawbone chegou a valer US$ 3 bilhões, e ontem (6/7) foi noticiado o fim de suas operações. A fabricante de pulseiras e caixas de som inteligentes é um exemplo de como startups promissoras podem[…]

Leia mais »
Fintechs: A Magnetis oferece planejamento de investimentos / Divulgação

Como as fintechs tornam o investimento mais acessível

Antes de criar a Magnetis, Luciano Tavares atuou por quase duas décadas como gestor de investimentos. Ao fundar a startup, sua ideia foi oferecer, a um público amplo, o planejamento financeiro que normalmente era restrito a quem tem muito dinheiro. A Magnetis é uma das fintechs (empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros)[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami