inova.jor

inova.jor

Telefônica e Senac incentivam empreendedores

Primeira turma do crowdworking será formada por ex-alunos do Senac / Renato Cruz/inova.jor
Primeira turma do crowdworking será formada por ex-alunos do Senac / Renato Cruz/inova.jor

A Telefônica, dona da Vivo, e o Senac procuram empreendedores que queiram criar empresas em São Paulo. Crowdworking é o nome do projeto de pré-aceleração criado pela Telefónica Open Future em parceria com diversas instituições de ensino brasileiras.

Já existem dois espaços colaborativos, em Santa Rita do Sapucaí (MG) e na Universidade de Londrina (PR), e o terceiro será instalado no Centro Universitário Senac, no bairro de Santo Amaro, em São Paulo.

A parceria combina a estrutura e os professores de empreendedorismo do Senac com a mentoria e rede de relacionamentos da Open Future. O acordo tem duração inicial de um ano, podendo ser renovado.

Ex-alunos do campus estão sendo convidados a formar a primeira turma a participar do projeto.

“A turma piloto será formada por quatro grupos de ex-alunos convidados, conforme projetos que eles já desenvolveram aqui no Senac. Os encontros devem começar já em setembro”, diz Pablo Padilha, coordenador pedagógico do Crowdworking.

O programa dará prioridade para alunos e ex-alunos do Campus Santo Amaro. Os participantes deverão ter dedicação exclusiva durante o ano de projeto, sem remuneração.

“Não vamos restringir as inscrições de alunos de outros campi do Senac, mas entendemos que é difícil estar neste campus todos os dias da semana. A presença obrigatória do projeto”, alerta Leandro Mastropasqua, coordenador de parcerias de Centro de Estudos Aplicados do Senac.

Parcerias

O projeto recebe a participação direta da Wayra Brasil, aceleradora pertencente à Telefônica.

Renato Valente, diretor geral do Telefónica Open Future e diretor da Wayra Brasil, explica que é possível futuros investimentos a startups que participem do projeto.

“O crowdworking é uma forma para nós, da Telefónica, encontrarmos novos empreendedores. O projeto é criado em parceria com academias porque queremos criar esse contato com os pesquisadores e estudantes. Ficaremos de olho em todo o processo de pré-aceleração e em caso de alguma ideia se tornar um projeto de negócio viável, vamos ajudar a desenvolvê-lo da melhor forma possível”, explica Valente.

As inscrições para a segunda turma deve iniciar em novembro deste ano, com previsão para início das atividades em fevereiro. A intenção, segundo Padilha, é manter duas turmas por ano no projeto de pré-aceleração.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Amos Genish, da Vivo, diz que empresas precisam ser mais inovadoras

‘Brasil precisa criar centros tecnológicos’, diz presidente da Vivo

“O Brasil precisa criar centros tecnológicos aqui”, afirmou ontem Amos Genish, presidente da Vivo, durante a inauguração da nova sede da Wayra, aceleradora de startups do grupo espanhol. “Para saírem da crise, as empresas brasileiras precisam inovar mais, para se tornarem mais competitivas.” Segundo Genish, não falta competência aos profissionais[…]

Leia mais »
O Crowd Vale da Eletrônica fica no Inatel, em Santa Rita do Sapucaí / Divulgação

Crowd Vale da Eletrônica lança segunda chamada de startups

O Crowd Vale da Eletrônica abriu as inscrições de seu segundo processo seletivo para startups. O prazo termina em 9 de junho. Sediada em Santa Rita do Sapucaí (MG), a iniciativa é uma parceria entre Telefónica Open Future, Inatel e Ericsson. Pré-aceleração Serão selecionadas até 20 startups para um período de[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami