inova.jor

inova.jor

Saint-Gobain procura startups no Cubo

Dirigentes da Saint-Gobain planejam visitar semanalmente as startups do Cubo / Divulgação
Dirigentes da Saint-Gobain planejam visitar semanalmente as startups do Cubo / Divulgação

Criado no ano passado, o Cubo Coworking Itaú tornou-se um espaço de referência para startups digitais, principalmente para as chamadas fintechs, que oferecem serviços financeiros.

Recentemente, a Saint-Gobain fechou uma parceria com o Cubo. O que uma empresa de materiais de construção e industriais busca nesse ambiente?

“É um projeto muito importante para nós”, afirma o presidente da Saint-Gobain para o Brasil, Argentina e Chile, Thierry Fournier. “Resolvemos nos aproximar de startups para acelerar a inovação.”

A ideia é que dirigentes da Saint-Gobain passem pelo menos um dia por semana no Cubo para interagir com startups.

As oportunidades inicias, de acordo com Fournier, são de melhorar a atuação da empresa em áreas como marketing e tecnologia da informação.

Num segundo momento, o executivo espera que a presença da Saint-Gobain no Cubo atraia empresas iniciantes que atuem em outros setores.

Prioridades

Fournier enumerou três prioridades da área de pesquisa e desenvolvimento da empresa:

  • localizar formulações de produtos, para reduzir a dependência de insumos importados, que têm impacto da variação do dólar;
  • criar soluções particulares para o Brasil, como novos novos materiais para encanamento de esgotos, já que a água de esgoto daqui é mais ácida que em países de clima mais frio;
  • avançar na indústria 4.0, com sistemas que permitam a colaboração entre humanos e robôs.

A Saint-Gobain tem um centro de pesquisa e desenvolvimento em Capivari (SP). Presente há 79 anos no Brasil, a empresa é responsável pelas marcas como Brasilit, Isover, Weber Quartzolit e Telhanorte.

Em julho, a TIM Brasil também anunciou uma parceria com o Cubo.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O MindSphere, da Siemens, permite analisar em tempo real dados gerados por máquinas / Renato Cruz/inova.jor

Siemens procura desenvolvedores de aplicativos para a indústria

HANNOVER Na chamada Indústria 4.0, as máquinas são conectadas e geram informações a partir de sensores. O software que controla o chão de fábrica está ligado ao sistema de gestão empresarial. É possível receber eletronicamente os pedidos dos clientes e fabricar produtos personalizados sem paradas da linha de produção para reconfigurá-la.[…]

Leia mais »

São Paulo terá batalhas de startups de inteligência artificial

Batalhas entre startups com soluções em inteligência artificial decidirão qual empresa será o novo participante da Wayra, aceleradora do grupo Telefônica, que também é dona da Vivo. O vencedor também receberá apoio da Microsoft. A competição acontecerá em 9 de dezembro e é organizada pela empresa norte-americana BigML em parceria com[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami