inova.jor

inova.jor

‘Transformação digital abre via de acesso ao ataque de hackers’

Hackers: Funcionários das empresas devem ser preparados para transformação digital, dizem especialistas / Divulgação
Funcionários das empresas devem ser preparados para a transformação digital, dizem especialistas / Divulgação

Empresas do mundo inteiro passam por um período de transformação digital. Durante esse processo, executivos precisam conhecer melhor a figura do hacker, criminoso disposto a tirar vantagens ao criar o caos.

Entender como agem os hackers é a primeira etapa para manter os dados da empresa em segurança. É o que acredita Thomas Geiger, diretor de operações da empresa alemã CenterTools, especializada em segurança da informação.

“A transformação digital da sociedade abre uma nova e grande via de acesso ao ataques de hackers”, disse hoje (13/9) durante o evento it-sa Brasil 2016, em São Paulo.

Para o especialista, a falta de atenção em seguranças de dados é algo histórico, que começou com o uso comercial da internet. Foi a partir de episódios de grande impacto que empresas começaram a prestar a atenção nesse assunto.

Em pouco tempo, no entanto, o cibercrime se tornou um negócio milionário. O primeiro grande ataque por vírus, em 2000, chamado de “I Love You”, infectou dezenas de milhares de computadores no mundo inteiro, trazendo cerca de US$ 15 bilhões em prejuízo.

Hoje, com inúmeras variações de malwares, estima-se perdas mundiais de cerca de US$ 400 bilhões por ano devido a ataques cibernéticos.

“O malware se tornou um produto comercial. É preciso que os executivos entendam de uma vez por todas que quem faz isso não é mais um garoto nerd que infecta computadores com vírus por diversão. Há no mundo uma poderosa indústria de crime disposta a tirar vantagem”, diz Geiger.

Medidas de segurança

Thomas Geiger, da CenterTools / Divulgação
Thomas Geiger, da CenterTools / Divulgação

Para evitar perder valores e informações na rede é possível que as empresas tomem algumas atitudes.

Uma delas, é ensinar os funcionários a realizar boas práticas do mundo digital. Estima-se que 70% dos ataques criminosos bem-sucedidos aconteçam por comportamento errado dos usuários.

Também é necessário investir em técnicas e soluções de seguranças dentro das empresas. Auditorias internas precisam ser feitas com frequência para garantir a segurança dos dados.

A questão, no entanto, precisa ser vista com velocidade. Isso porque o mundo está no que os especialistas consideram a metade da transformação digital.

A próxima fase dessa transformação será a integração e tráfego de dados entre máquinas, sem ser necessário a participação humana neste processo, no que a indústria chama de internet das coisas.

Em sistemas poucos seguros, essa tecnologia será uma grande porta de entrada para contaminações, acredita Geiger.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A realidade virtual deve ser novamente um dos destaques na CES 2017 / Renato Cruz/inova.jor

CES 2017: O que esperar do mercado de eletrônicos

A CES 2017, maior evento de eletrônicos do mundo, completa 50 anos. Embarco hoje (2/1) para Las Vegas para acompanhar as novidades deste ano. Em meio século de existência, a CES foi palco de lançamentos de tecnologias como o videocassete (1970), o DVD (1996) e o rádio digital (2000). Neste ano,[…]

Leia mais »
Baixos custos e pouco tempo de curso atraem estudantes para startups de e-learning / Chris Devers / Creative Commons

Startups de educação à distância crescem na crise

O mercado de educação à distância está em ascensão. Com custos mais baixos e aulas interativas, o modelo tem atraído pessoas que querem se especializar, mas que contam com pouco tempo e dinheiro. As startups voltadas para educação são vistas como promissoras. Surgida em 2011, a Descola quer preencher lacunas pouco exploradas pelas[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami