inova.jor

inova.jor

‘Falhas fazem parte do processo de aprendizado’

Criada há 11 anos, a 4Bio é especializada na venda de medicamentos especiais
Empreendedor: A falta de um plano de negócios impacta negativamente a rentabilidade da empresa / Renato Cruz/inova.jor

Não existe momento bom ou ruim para quem pretende investir em seu próprio negócio – sempre haverá situações adversas. O segredo é estar muito bem preparado e atento às oportunidades que o mercado apresenta.

Afinal, riscos e inseguranças sempre farão parte da trajetória do empreendedor. O importante é ter coragem, criatividade e nunca entrar na zona de conforto.

Segundo uma pesquisa realizada pelo grupo Britânico Approved Index, em 2015, o Brasil é o terceiro país do mundo em número de empreendedores.

Mas, infelizmente, isso não garante o êxito dos negócios, uma vez que dados do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostram que 60% das companhias fecham por não ter um plano de negócios definido.

Muitas vezes a ideia pode ser boa mas, quando colocada em prática, não encontra espaço para se consolidar no mercado.

A falta de um plano de negócios impacta muito negativamente a rentabilidade da empresa, pois metas e planejamento são imprescindíveis para o sucesso de qualquer empreendimento. Assim como o monitoramento da concorrência.

E é importante ressaltar que precisam ser “escritos a lápis” – uma vez que necessitam ser constantemente ajustados ao longo do percurso para minimizar erros e visualizar as potencialidades e oportunidades que o mercado apresentar.

Outro deslize recorrente entre os empreendedores de primeira viagem é confundir as finanças da empresa com as pessoais. Esse é um grande problema e nem sempre é olhado com o cuidado necessário, podendo, inclusive, levar a nova companhia à falência.

André Kina, da 4Bio / Divulgação
André Kina, da 4Bio / Divulgação

Por isso, tenha uma boa gestão financeira desde o início. Um fluxo de caixa organizado é imprescindível e ajuda a identificar quais as estratégias que estão sendo realmente eficazes. Esse controle pode ser um diferencial na hora de receber um investimento, por exemplo.

O senso comum também acredita que ser o dono do próprio negócio é mais fácil, mas, na realidade, o empreendedor precisa se dedicar muito mais ao trabalho.

A responsabilidade é grande, assim como o tempo investido na empresa. Por isso, ter atividades paralelas que tragam bem-estar e ajudem a relaxar são meios de evitar o estresse, garantindo o equilíbrio e a qualidade de vida.

E tudo isso é fundamental para o bom relacionamento com os públicos interno e externo e, por consequência, resulta em uma melhor entrega do serviço. Além de ser um meio de adicionar criatividade às atividades na empresa.

Avaliação de oportunidades

Quem almeja o sucesso precisa de um olhar atento, avaliando oportunidades que as outras pessoas não enxergam. Além de estar sempre disposto a ingressar em novas iniciativas, garantir a qualidade e eficiência da entrega e, claro, nunca desistir diante dos problemas.

Vale lembrar que as falhas fazem parte do processo de crescimento e aprendizado e podem ajudar no desenvolvimento de soluções inovadoras. O erro faz parte e deve ser encarado como um incentivo para se reerguer e atingir as metas propostas. Seguindo estas dicas, já é possível percorrer uma boa parte do caminho rumo ao sucesso.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Cetip cria programa de aceleração para fintechs

Cada vez mais empresas consolidadas apostam em startups. A Cetip, gigante do mercado financeiro, anunciou ontem (11/8) o programa de aceleração Foresee, que beneficiará 10 fintechs (empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros). O programa acontecerá em Florianópolis, com apoio da aceleradora Darwin Starter. Por nove meses, as startups ficarão no coworking da Associação[…]

Leia mais »
Baixos custos e pouco tempo de curso atraem estudantes para startups de e-learning / Chris Devers / Creative Commons

Startups de educação à distância crescem na crise

O mercado de educação à distância está em ascensão. Com custos mais baixos e aulas interativas, o modelo tem atraído pessoas que querem se especializar, mas que contam com pouco tempo e dinheiro. As startups voltadas para educação são vistas como promissoras. Surgida em 2011, a Descola quer preencher lacunas pouco exploradas pelas[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami