inova.jor

inova.jor

MCTIC: ‘Estamos comprometidos com fundo garantidor’

André Borges afirma que o MCTIC está comprometido com o fundo garantidor para provedores regionais / Herivelto Batista/ASCOM-MCTIC
André Borges, do MCTIC, preferiu não definir datas para o fundo garantidor / Herivelto Batista/ASCOM-MCTIC

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) está comprometido com o fundo garantidor para os provedores regionais de internet, segundo André Borges, secretário de Telecomunicações do MCTIC.

Ontem (2/11), o inova.jor publicou um artigo assinado por Erich Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint), que destaca a importância do fundo garantidor para que os pequenos provedores tenham acesso a financiamento.

“Porém, o fundo de aval não tem sido abastecido com recursos pela atual administração do secretário de Telecomunicações, André Borges, que assumiu o cargo em julho”, escreveu Rodrigues.

Borges comentou o tema, em e-mail ao inova.jor:

    “Apesar da curiosa referência de pouco caso, nós também identificamos nesse assunto um elemento que pode ajudar os provedores regionais e, portanto, o desenvolvimento da banda larga no que diz respeito à relevante atuação deles.
    Temos despendido tempo e esforço não só na atenção quanto à relevante demanda desse segmento, quanto às providências para viabilizar essa ferramenta em várias frentes.
    Estamos comprometidos em viabilizar esse objetivo.
    Pensei que soubessem disso. Infelizmente, ainda não consegui entregar esse resultado nos quatro meses na função.”

O secretário do MCTIC informou que ainda não existe um prazo definido para que isso aconteça.

Participação de mercado

Os provedores regionais de internet tinham, em julho, 2,6 milhões de acessos, o que representava cerca de 10% do total de acessos de banda larga fixa existentes no País.

Durante o Futurecom, André Borges informou que o governo trabalha num novo plano de banda larga, que inclui ampliar de 60% para 75% os municípios brasileiros alcançados pela rede de transporte de fibras ópticas.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Telefonia móvel acabou se tornando responsável pela universalização das telecomunicações / Geraldo Magela/Agência Senado

Expansão do setor melhora a competitividade

As telecomunicações são ferramentas essenciais para a inovação em todos os setores da economia, e as empresas brasileiras encontram-se num momento em que precisam aumentar sua capacidade de competir no cenário mundial. Na edição mais recente do Relatório de Competitividade Global, do Fórum Econômico Mundial, o Brasil caiu seis posições e[…]

Leia mais »
A Angola Cables é considerada uma empresa-âncora do Parque Tecnológico de Fortaleza / Divulgação

Por que a Angola Cables quer conectar o Brasil à África

Os Estados Unidos ainda concentram boa parte do tráfego mundial de internet. Provedores de outros países contratam conexões até lá e as comunicações internacionais passam pela infraestrutura norte-americana. Os projetos da Angola Cables fazem parte de um esforço de descentralização. O West Africa Cable System (Wacs), sistema de cabos submarinos[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami