inova.jor

inova.jor

Como está o mercado de relógios inteligentes

Relógios inteligentes: O Pebble tem entre 2,2% e 3,3% de participação de mercado, dependendo do relatório / Jonas Birmé/Creative Commons
O Pebble tem entre 2,2% e 3,3% de participação de mercado, dependendo do relatório / Jonas Birmé/Creative Commons

O mercado de relógios inteligentes cresceu 60% no terceiro trimestre, com vendas de 6,1 milhões de unidades em todo o mundo, segundo a consultoria Canalys.

O resultado é bem diferente do que foi divulgado alguns dias antes por outra consultoria. De acordo com a IDC, o mercado de smartwatches caiu 51,6% no período, para 2,7 milhões de unidades.

Quem tem uma visão pessimista sobre o mercado pode justificá-la com os números da IDC. Quem, por outro lado, quer ser otimista pode usar os dados da Canalys.

A verdade é que o setor de vestíveis como um todo segue como uma incógnita. Os relógios inteligentes ainda são um produto de nicho. Muitos apostam que aplicações de saúde serão responsáveis por massificá-los.

“Ficou evidente que os atuais relógios inteligentes não são para todo mundo”, afirmou, em comunicado, Jitesh Ubrani, analista sênior de pesquisa da IDC.

Daniel Matte, analista da Canalys, não tem tanta certeza: “O desempenho do quarto trimestre será fundamental para avaliar melhor as perspectivas de longo prazo dos modelos melhorados de relógios”.

Participação de mercado

Ambas as consultorias concordam que o Apple Watch lidera o mercado de smartwatches, com 2,8 milhões de unidades vendidas entre julho e setembro (Canalys) ou 1,1 milhão (IDC).

No segundo lugar, a Canalys aponta a Samsung, com 18,3% do mercado, e a IDC a Garmin, com 20,5%. Para a Canalys, a Garmin está em quarto lugar, com 3,2%.

Abaixo, uma comparação das fatias de mercado de cada fabricante de acordo com os dois relatórios:

Canalys IDC
Apple 45,6% 41,3%
Samsung 18,3% 14,4%
Fitbit 17,2%
Garmin 3,2% 20,5%
Lenovo 3,4%
Pebble 2,2% 3,2%
Outros 13,5% 17,2%

 

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O Labelectron, da Fundação Certi, combina pesquisa e fabricação de produtos / Renato Cruz/inova.jor

Como deve evoluir a digitalização da indústria brasileira

Poucas indústrias brasileiras adotam tecnologias digitais avançadas. Segundo pesquisa do Projeto Indústria 2027, somente 1,6% das empresas encontra-se hoje na chamada Indústria 4.0. Em dez anos, esse percentual deve subir para 21,8%. A Indústria 4.0 promove a integração da automação da fábrica aos demais sistemas digitais da empresa, com adoção[…]

Leia mais »
Evento quer reunir produtores, distribuidores e investidores do mercado audiovisual / Divulgação

Minas promove rodadas de negócio de audiovisual

Terminam na segunda-feira (10/7) as inscrições para as rodadas de negócio da Minas Gerais Audiovisual Expo (MAX). O evento será realizado de 22 a 26 de agosto em Belo Horizonte, pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG) e[…]

Leia mais »

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *