inova.jor

inova.jor

Algar Telecom abre novo ciclo de aceleração de startups

Seis startups serão escolhidas para o programa de aceleração da Algar Telecom / Renato Cruz/inova.jor
Seis startups serão escolhidas para o programa de aceleração da Algar Telecom / Renato Cruz/inova.jor

Startups com soluções focadas em eficiência, transformação digital, cidades inteligentes, entretenimento, comunicação e ferramentas para o público jovem podem se inscrever no Programa de Aceleração de Startups da Algar Telecom.

Em parceria com a aceleradora Ace (antiga Aceleratech), a operadora mineira de telecomunicações abriu inscrições no início da semana para a segunda turma de startups.

Até o dia 11 de dezembro, os interessados podem fazer suas inscrições no site do programa. A partir de então, os selecionado passarão por uma entrevista presencial ou por Skype.

Quem passar para a próxima etapa terá de fazer uma apresentação de sete minutos para os executivos da Algar e da Ace. Seis startups serão selecionadas para participar do programa.

O processo terá duração de quatro a 10 meses, dependendo do nível de maturação da empresa. As startups poderão escolher passar pelo período de aceleração na sede da operadora, em Uberlândia, ou em São Paulo.

Plano de crescimento

Durante o período, as startups precisam cumprir uma série de metas previstas no plano de crescimento, estipuladas para cada empresa no início do processo de aceleração.

Elas serão acompanhadas por mentores da Algar, executivos parceiros e representantes da aceleradora.

Cada empresa receberá um investimento direto de R$ 150 mil, além de auxílio de custos para despesas durante o programa.

Após o processo, cada startup pode captar ainda até R$ 200 mil em recursos não reembolsáveis, por meio de parceria com o Instituto Senai de Inovação.

Em contrapartida, ao fim do processo de aceleração, a Algar Telecom receberá participação societária na startup.

O edital do programa prevê a entrada de empresas iniciantes voltadas para quatro áreas:

  1. Eficiência e Produtividade – Soluções para aumentar produtividade em indústrias, propriedades rurais, clínicas e hospitais, órgãos públicos, empresas de tecnologia da informação e comunicação e pequenas e médias empresas de qualquer setor ou segmento.
  2. Transformação digital de negócios – Soluções para otimizar o atendimento e simplificar o relacionamento entre empresas e clientes.
  3. Cidades mais inteligentes e humanas – Tecnologias com modelos de negócios viáveis que ajudem as pessoas a terem uma vida melhor nos centros urbanos.
  4. Entretenimento, comunicação e ferramentas para público jovem – Soluções criadas especificamente para atender demandas de grupos de jovens com identidades, tribos e estilos de vida em comum.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Regulamentação define que investidor-anjo não será considerado sócio / Andrew Eland

Como foi regulamentada a atividade de investidor-anjo no Brasil

Recentemente publicada, a Lei Complementar nº. 155/2016 trouxe uma série de novidades, como a ampliação do limite da receita bruta anual, para fins de enquadramento como empresa de pequeno de porte, aplicando-se, a partir de 1º de janeiro de 2018, o teto de R$ 4,8 milhões; e, em relação ao microempreendedor[…]

Leia mais »

Qual é o impacto da internet das coisas na medicina

A internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) deve trazer grandes mudanças ao setor de saúde. Armazenar e monitorar sinais vitais de pacientes por meios de dispositivos é uma das apostas da telemedicina. Com os aparelhos, os hospitais tendem a economizar, os médicos passam a ter informações mais precisas[…]

Leia mais »

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami