inova.jor

inova.jor

Óculos inteligentes podem ser bem diferentes do Google Glass

Os óculos inteligentes Vue parecem normais, mas são equipados com fone, microfone e sensores de movimento / Divulgação
Os óculos inteligentes Vue parecem normais, mas são equipados com fone, microfone e sensores de movimento / Divulgação

O Google Glass foi um projeto que não deu certo. As pessoas ao redor do usuário ficavam incomodadas com a câmera e a bateria durava pouco.

A tecnologia de realidade aumentada, que sobrepunha imagens digitais ao ambiente físico, foi considerada insegura pelas autoridades de trânsito.

Os usuários do Google Glass eram alvo de piadas e chegaram a receber até o apelido de Glassholes.

Diante dessa experiência ruim, têm surgido propostas diferentes de óculos inteligentes. Uma delas é o Vue, que levantou quase US$ 800 mil no site de financiamento coletivo Kickstarter.

Olhando para os óculos, não parece haver nada de diferente neles.

O Vue vem, no entanto, equipado com alto-falantes de condução óssea (que dispensam fone de ouvido), microfone, touchpad, sensores de movimento, conexão bluetooth e um led que avisa a respeito de atividades no smartphone.

Com o dispositivo, é possível ouvir música, fazer chamadas e medir atividades físicas. O lançamento está previsto para julho de 2017.

Com o crescimento das interfaces de voz, um equipamento como o Vue passa a fazer muito mais sentido. Além disso, são óculos inteligentes para quem usa óculos.

Câmeras

Os Spectacles, do Snapchat, começaram a ser vendidos na semana passada em algumas máquinas automáticas nos Estados Unidos.

Para evitar o problema enfrentado pelo Google Glass, os óculos do Snapchat acendem uma luz quando a câmera está em funcionamento.

São óculos escuros com câmera que funcionam somente para fazer vídeos para o aplicativo.

A consultoria Gartner estima que, neste ano, serão vendidos 274,6 milhões de eletrônicos vestíveis em todo o mundo, o que representa um aumento de 18,4% sobre 2015.

Desse total, a maioria serão fones bluetooth (128,5 milhões), seguidos de relógios inteligentes (50,4 milhões).

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Maioria já sabe que é possível pagar com o celular, afirma Edlayne Altherman Burr, da Accenture / Renato Cruz/inova.jor

O que falta para a massificar os pagamentos móveis

A fase de divulgação dos sistemas de pagamentos móveis já passou. Segundo Edlayne Altherman Burr, diretora da Accenture, 56% das pessoas já sabem que dá para pagar com o celular. “Antes, a prioridade era a educação dos consumidores”, explica Burr, que participou hoje do evento Cards Payment & Identification 2017, em[…]

Leia mais »
Recrutadores têm dificuldade de encontrar profissionais qualificados de tecnologia da informação / Leonardo Rizzi/Creative Commons

Por que sobram vagas em tecnologia da informação

Empresa de tecnologia da informação (TI) procura profissional com ou sem experiência, formado ou estudante de cursos na área, para contratação imediata. Remuneração: a combinar. Benefícios: ambiente de trabalho moderno, flexibilidade de horários, possibilidade de aprendizado e participação em projetos que ajudam a transformar a sociedade. Parece um anúncio de emprego[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami