inova.jor

inova.jor

Falta de investimento pode comprometer internet no Brasil

A Abinee prevê queda de 15% no investimento em infraestrutura de telecomunicações neste ano / mohsend72/Creative Commons
A Abinee prevê queda de 15% no investimento em infraestrutura de telecomunicações neste ano / mohsend72/Creative Commons

O Brasil pode voltar a sofrer problemas de conectividade em caso de estagnação dos investimentos em infraestrutura de redes.

A expectativa da indústria é que o dispêndio em redes de telecomunicações diminua 15% neste ano, segundo Paulo Castelo Branco, diretor executivo de telecomunicações da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

Castelo Branco não divulgou o valor total do investimento esperado. Ele acredita que o País deve entrar em alerta caso não haja uma retomada.

“A qualidade das redes e dos serviços de internet no Brasil tem melhorado, mas, se os investimentos não acompanharem o número de dispositivos colocados à disposição dos clientes finais, começaremos a ter risco”, disse.

Para o diretor da Abinee, o aumento de tráfego de dados exigido em serviços de streaming, como o Netflix, requer investimento maciço em infraestrutura.

Aparelhos celulares

A queda do investimento das operadoras de telefonia foi o principal fator para a diminuição do faturamento da indústria de infraestrutura de telecomunicações, segundo a Abinee.

Apesar do cenário negativo, Castelo Branco disse acreditar que as operadoras vão buscar manter uma qualidade razoável de conectividade.

A expectativa da associação é que o nível de investimento em infraestrutura se mantenha no próximo ano.

Neste ano, o faturamento da indústria de telecomunicações deve registrar uma queda de 3%, somando R$ 27,4 bilhões.

Esse número inclui a redução de 15% na infraestrutura e uma alta de 2% na venda de celulares, impulsionada principalmente por aparelhos de maior custo.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A União Europeia anunciou uma iniciativa para levar banda larga para todas as pessoas e empresas / Groman123/Creative Commons

Setor precisa de novas políticas públicas

Quando a Lei Geral de Telecomunicações (LGT) foi criada, os definidores do marco regulatório estudaram modelos adotados para as telecomunicações em várias partes do mundo. Políticas públicas internacionais de sucesso costumam permear as discussões sobre melhorias no mercado nacional. Numa época de mudanças estruturais e de revisão do modelo regulatório[…]

Leia mais »
André Borges afirma que o MCTIC está comprometido com o fundo garantidor para provedores regionais / Herivelto Batista/ASCOM-MCTIC

MCTIC: ‘Estamos comprometidos com fundo garantidor’

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) está comprometido com o fundo garantidor para os provedores regionais de internet, segundo André Borges, secretário de Telecomunicações do MCTIC. Ontem (2/11), o inova.jor publicou um artigo assinado por Erich Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint),[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *