inova.jor

inova.jor

Por que grandes empresas precisam colaborar com startups

Anprotec: A Natura é um exemplo de grande empresa brasileira que colabora com startups / Divulgação
A Natura é um exemplo de grande empresa brasileira que colabora com startups / Divulgação

Neste início de século, num contexto de profundas mudanças na economia e na sociedade, novas abordagens determinam o sucesso nos negócios em escala global.

A inovação tornou-se um fator crítico de sucesso no mundo dos negócios e no desenvolvimento das nações. As cidades e os países que inovam são mais competitivos, geram mais desenvolvimento econômico e social e propiciam melhor qualidade de vida para as pessoas.

Nesse sentido, as inovações emergem no seio dos novos mecanismos de geração de empreendimentos no mundo todo, seja nas incubadoras, nas aceleradoras ou nos modernos ambientes de coworking.

Com esses mecanismos, as startups encontram as melhores condições de transformar o talento, as novas ideias e o conhecimento de jovens empreendedores em novos negócios e geração de riqueza.

Oportunidades

Jorge Audy, da Anprotec / Divulgação
Jorge Audy, da Anprotec / Divulgação

Nesse novo ambiente, em que as inovações que transformam o mundo dos negócios surgem nas startups, abre-se um novo conjunto de oportunidades para grandes empresas, já consolidadas e bem posicionadas no mercado.

Ao se aproximarem de jovens empreendedores e suas startups de alta tecnologia, as grandes empresas passam a ter acesso a fontes de inovação e de novas idéias que podem transformar seus negócios, permitindo que se mantenham empresas líderes nos seus segmentos de atuação.

Por outro lado, as empresas nascentes também ganham ao terem acesso aos mercados e a capitais, necessários para alavancar as inovações e novos produtos ou serviços que oferecem.

Nesse sentido, a colaboração entre grandes empresas e startups é um processo em que todos ganham, estabelecendo parcerias típicas do momento econômico e social que vivemos, em que a colaboração e a interação são caraterísticas próprias dos negócios que prosperam e se desenvolvem em uma economia e sociedade globalizada.

Muitas empresas de grande porte e escala de atuação global estão gerando programas e ações que buscam identificar, fomentar e incorporar inovações a partir da aproximação com startups, a partir de parcerias e colaborações com entidades como a Anprotec e diversas de suas associadas, em especial incubadoras e aceleradoras, muitas delas inseridas em Parques Científicos e Tecnológicos e outros ecossistemas de inovação.

Ao gerarem essa aproximação com startups altamente inovadoras e de base tecnológica, as grande empresas atraem talentos e novas  ideias, agregando capital e canais de negócios em escala nacional e global, potencializando as suas chances de sucesso, bem como das empresas nascentes.

Pesquisa e desenvolvimento

Sob certo aspecto, as empresas emergentes de alta tecnologias passam a desempenhar um papel que por muitas décadas foi de responsabilidade de áreas de pesquisa e desenvolvimento (P&D) internos nas grandes empresas.

Com o surgimento dos modernos conceitos e de open innovation, o cenário de possibilidades mudou muito e se sofisticou.

Hoje, além dos centros de P&D próprios, a atenção às novas tecnologias e negócios das startups e a atração dessas jovens empresas e seus empreendedores se tornaram uma fonte preciosa de inovações para as grandes empresas.

Nesse ambiente, mais aberto e competitivo, a Anprotec, enquanto uma entidade voltada ao fomento do empreendedorismo inovador, tem buscado atuar no sentido de aproximar grandes empresas e startups, estimulando a colaboração e a sinergia positiva entre os diversos parceiros, de todos os portes, no mundo dos negócios.

Acreditamos que a colaboração é o principal fator de sucesso no mundo globalizado em que vivemos. Nesse sentido, a inovação encontra seu melhor ambiente para florescer nos modernos ecossistemas de inovação, sejam parques científicos, tecnológicos, distritos de inovação ou cidades inteligentes.

E, nesse ambientes, os mecanismos de geração de empreendimentos como incubadoras e aceleradoras oferecem o melhor da tecnologia e da inovação.

Redes de colaboração

A Anprotec, ao representar e atuar em nome dos principais ambientes de inovação do país, busca oferecer oportunidades reais de agregar valor aos negócios das empresas, grandes, médias, pequenas e nascentes, inseridas em seus ambientes por meio da colaboração e sinergia entre todos.

Ao buscar aproximar grandes empresas e startups, por meio de programas como o da Samsung, em escala internacional, e o da Natura ou Boticário, em escala nacional, a Anprotec atua no sentido de viabilizar a construção de redes de colaboração em que todos os participantes ganham, sejam de grande ou pequeno porte.

Nesse sentido, estamos abertos a ampliar o leque de possibilidades para nossos associados e para nossos parceiros, tendo nosso networking local, nacional e internacional como plataforma de atuação, visando estimular o surgimento de inovações que alcancem rapidamente escalas globais, projetando nossas empresas e economia para padrões internacionais, tendo o empreendedorismo inovador como nossa marca.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O jogo Pokémon Go popularizou a tecnologia de realidade aumentada / Karl Baron/Divulgação

Quais são os riscos criados pelo Pokémon Go

Pokémon Go está prestes a se tornar o jogo para celular mais popular de todos os tempos. Ele já atingiu esse marco nos Estados Unidos e está dominando todos os mercados nos quais foi disponibilizado. O jogo uniu jogadores ocasionais, fãs da série original, colegas, pais e amigos. Também incorporou[…]

Leia mais »
O etanol celulósico é uma das áreas promissoras para o Brasil nos próximos anos / Secr. Agricultura SP/Creative Commons

Brasil cai no ranking de inovação em tecnologia limpa

O Brasil caiu cinco posições no ranking de inovação em tecnologia limpa, ficando em 30.º lugar entre 40 países analisados. A informação está disponível na terceira edição do relatório Global CleanTech Innovation Index, do WWF. O estudo anterior havia sido divulgado em 2014. A principal queda do Brasil foi no[…]

Leia mais »

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami