inova.jor

inova.jor

CES 2017: Nvidia aposta em casas e carros inteligentes

Jen-Hsun Huang, presidente da Nvidia, anunciou lançamentos que incorporam inteligência artificial a carros e casas / Renato Cruz/inova.jor
Jen-Hsun Huang, da Nvidia, anunciou produtos que incorporam inteligência artificial a carros e casas / Renato Cruz/inova.jor

LAS VEGAS

A Nvidia é uma empresa conhecida por produzir chips de processamento gráfico (GPUs, na sigla em inglês), aplicados principalmente a jogos.

“Estamos no primeiro plano da inteligência artificial”, afirmou ontem (4/1) Jen-Hsun Huang, presidente e cofundador da Nvidia, durante palestra na CES 2017, evento de eletrônicos que acontece esta semana em Las Vegas.

“Amamos videogames, que são o maior ambiente de simulação que existe no mundo e também a maior indústria do entretenimento”, completou Huang, em sua jaqueta de couro.

O executivo disse que as técnicas de aprendizado profundo (deep learning) causaram uma revolução no campo da inteligência artificial.

“Elas permitem que software escreva software”, destacou o presidente da Nvidia. “Permitem que o computador reconheça padrões complexos.”

Casa inteligente

Huang anunciou o lançamento do Nvidia Shield TV, aparelho que roda serviços de vídeo via internet e jogos online na televisão.

Com a plataforma Android TV,  do Google, o Shield incorpora o Google Assistant, permitindo que as pessoas usem comandos de voz para interagir com ele.

Uma aplicação simples é fazer uma busca de seriados na televisão, pedindo para ver o que está disponível. Mas a coisa começa a ficar interessante quando o aparelho é integrado a outros dispositivos da casa.

A Nvidia também lançou o Spot, um pequeno microfone que pode ser colocados em outros cômodos da residência e que se conecta ao Shield por wi-fi, para que as pessoas possam interagir com o assistente de voz de qualquer lugar.

O Shield tem suporte a conteúdos de vídeo no formato 4K HDR (sigla de High Dynamic Range) e pode se conectar a mais de 200 dispositivos por meio da plataforma SmartThings Hub.

“Nossa casa vai se tornar uma inteligência artificial”, afirmou Huang. “Mark Zuckerberg construiu um Jarvis para a casa dele, e nós decidimos contruí-lo para todas as casas.”

Jarvis é o assistente de voz do Homem de Ferro. Zuckerberg, presidente e cofundador do Facebook, programou para a sua própria casa um sistema de automação baseado nele.

Ainda não há previsão de lançamento do Shield e do Spot no Brasil. Nos Estados Unidos, começam a ser vendidos ainda neste mês, aos preços de US$ 200 e US$ 50, respectivamente.

Carro autônomo

A Nvidia anunciou um acordo com a Audi para lançar comercialmente um carro autônomo de nível 4 em 2020. Scott Keogh, presidente da Audi nos Estados Unidos, participou da apresentação de Huang na CES.

Nível 4 significa que o carro não precisa de condutor na maioria das situações, exceto, por exemplo, sob condições climáticas severas.

O presidente da Nvidia também divulgou acordos com fabricantes de autopeças, como Bosch e ZF, que vão usar sua plataforma de inteligência artificial automotiva.

“Com aprendizado profundo, um computador pode perceber o mundo, no lugar de somente senti-lo”, explicou Huang. “Ele pode combinar as informações dos diversos sensores para formar uma imagem mental do mundo.”

Além disso, a tecnologia permite que o computador de bordo aprenda a dirigir observando o comportamento de motoristas humanos.

Keogh, da Audi, disse que os carros autônomos vão criar um ambiente muito mais seguro. “Isso é importante para os meus filhos, que em breve chegarão à idade de aprender a dirigir”, completou o executivo.

“Vamos fazer com que nossos filhos não tenham de aprender a dirigir nunca mais”, respondeu Huang.

  • O jornalista viajou a convite da Samsung

 

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Apple Event 2015

Seu anúncio, o Ad Block e a microssegmentação

A IAB Brasil, associação que promove o marketing digital no país, estima que a publicidade mobile deve fechar o ano com um investimento total de R$ 822 milhões. Apesar do crescimento de 14% em relação a 2014, os anunciantes estão preocupados com o retorno sobre o investimento: o número de[…]

Leia mais »
Mercado da Blockbuster foi rompido pelo Netflix, segundo Clayton Christensen

Você sabe o que é ‘inovação rompedora’? Clayton Christensen explica que não

Com o clássico O dilema do inovador, publicado em 1997, Clayton Christensen, professor da Escola de Administração de Harvard, explicou ao mundo o conceito de “inovação rompedora” (“disruptive innovation”, que as pessoas por aqui insistem em traduzir como “disruptiva”). Recentemente, sua teoria da ruptura tem recebido ataques. Andrew King e Baljir Baatartogtokh publicaram[…]

Leia mais »

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami