inova.jor

inova.jor

McKinsey: 50% das atividades podem ser automatizadas

Somente 5% das profissões podem ser totalmente automatizadas / Madeline Gannon/Creative Commons
Somente 5% das profissões podem ser totalmente automatizadas, segundo a McKinsey / Madeline Gannon/Creative Commons

A possibilidade de trabalhadores humanos serem totalmente substituídos por robôs afeta menos de 5% das profissões, segundo estudo da McKinsey.

Mesmo assim, boa parte das atividades será desempenhada por robôs.

“O nível correto de detalhe para se analisar o impacto potencial da automação são as atividades individuais no lugar de ocupações inteiras”, apontou o relatório A future that works: automation, employment, and productivity (Um futuro que funciona: automação, emprego e produtividade).

Segundo a consultoria, quase toda profissão tem um potencial parcial de automação, pois uma parte de suas atividades pode ser exercida por máquinas.

A estimativa da McKinsey é que cerca de metade de todas as atividades pelas quais as pessoas são pagas pode ser automatizada, adaptando-se tecnologias existentes atualmente.

“Isso equivale a quase US$ 16 trilhões em salários”, informou o relatório.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O acelerador de partículas Sirius tem aplicações em setores como saúde, energia e alimentação / Divulgação

Para que vai servir o novo acelerador de partículas brasileiro

O maior projeto científico brasileiro em andamento é o Sirius, acelerador de partículas que está sendo construído pelo Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS), em Campinas (SP). O LNLS faz parte do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Com orçamento total de R$ 1,8 bilhão, o Sirius[…]

Leia mais »
Cláudio Ferrari, da Sboc, participou de evento sobre gestão da informação aplicada à saúde / Renato Cruz/inova.jor

Análise de dados pode ajudar a salvar vidas

A saúde brasileira ainda precisa passar por uma revolução de informação. Segundo estudo da McKinsey, a adoção de tecnologias de análise de dados e big data poderia trazer um ganho de eficiência de 35% ao setor. Cláudio Ferrari, secretário de Comunicação Social da Sociedade brasileira de Oncologia Clínica (Sboc) participou[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami