inova.jor

inova.jor

Centrais de atendimento devem ir para a nuvem na América Latina

Para evitar custos, empresas latino-americanas investem em soluções de centrais de atendimento na nuvem / Alan Clark/Creative Commons
Para evitar custos, empresas latino-americanas investem em soluções de nuvem / Alan Clark /Creative Commons

O mercado de centrais de atendimento on-premises (instaladas na própria empresa) movimentaram US$ 240 milhões na América Latina em 2015, sendo que o Brasil representou 50% do total.

Em 2021, esse montante deve alcançar US$ 275,5 milhões. No mesmo ano, as soluções em nuvem devem representar mais do que 30% do mercado latino-americano.

Segundo estudo da Frost & Sullivan, as empresas da região planejam investir em soluções de contact center na nuvem, para conter custos e aumentar a produtividade e a eficiência operacional.

A tendência é que as companhias substituam gradualmente sua infraestrutura antiga por soluções de nuvem, de acordo com a consultoria.

CORREÇÃO: A Frost & Sullivan corrigiu os números do estudo. Anteriormente, havia divulgado estimativas de mercado de US$ 240 bilhões para 2015 e de US$ 275,5 bilhões para 2021.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A Omnilink tem vários projetos de pesquisa e desenvolvimento com o Inatel / Divulgação

Em parceria com Inatel, Omnilink aposta em internet das coisas

A Omnilink, que desenvolve e comercializa sistemas de gestão de frotas, fechou um acordo com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), de Santa Rita do Sapucaí (MG), para desenvolver projetos com conectividade SigFox. A tecnologia SigFox é uma tecnologia de comunicação de longo alcance e baixo consumo de energia. É[…]

Leia mais »
Telefonia móvel acabou se tornando responsável pela universalização das telecomunicações / Geraldo Magela/Agência Senado

Expansão do setor melhora a competitividade

As telecomunicações são ferramentas essenciais para a inovação em todos os setores da economia, e as empresas brasileiras encontram-se num momento em que precisam aumentar sua capacidade de competir no cenário mundial. Na edição mais recente do Relatório de Competitividade Global, do Fórum Econômico Mundial, o Brasil caiu seis posições e[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami