inova.jor

inova.jor

Fusão entre Anprotec e Abraii aproxima incubadoras e aceleradoras

A aceleradora Wayra, associada a Abraii, passa a integrar o grupo da Anprotec / Divulgação
A aceleradora Wayra, associada a Abraii, passa a integrar o grupo da Anprotec / Divulgação

A fusão entre a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e a Associação Brasileira de Empresas Aceleradoras de Inovação e Investimentos (Abraii) deve fortalecer o ambiente de empreendedorismo no País.

Isso porque, juntas, as associações criam uma rede completa formada por startups, aceleradoras, incubadoras, parques tecnológicos e investidores interessados.

Durante um ano e três meses, executivos das duas associações realizaram reuniões e assembleias no intuito de decidir se a fusão seria a melhor opção para ambas as organizações.

A resposta se deu em dezembro, quando a Abraii foi incorporada a Anprotec.

O fortalecimento do ecossistema de empreendedorismo numa só associação foi um dos motivos que facilitou a fusão, diz Alex Jacobs.

O executivo acumula agora as funções de diretor de ambientes de inovação da Anprotec e de diretor executivo da Abraii, enquanto essa ainda não é extinta.

“Na prática, a partir de agora, quando for discutido uma política pública, norma ou qualquer assunto sobre inovação, aceleração e incubação não será mais necessário chamar as duas associações, mas só a Anprotec. Isso deve dar mais agilidade para as decisões”, acredita Jacobs.

Investimentos

A Anprotec conta agora com 366 associados. Dentre eles, 21 aceleradoras da Abraii, com forte característica de investimento.

“Faz parte da história da Abraii ter maior contato com o mundo empresarial. O caminho para a primeira rodada de investimento ficará menos difícil agora”, completa o executivo.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Maurício Ruiz, da Intel, falou sobre as estratégias da empresa para os próximos anos / Mariana Lima/inova.jor

Intel aposta em carros autônomos e 5G

Maior fabricante de microprocessadores do mundo, a Intel deve começar a apostar fortemente em carros autônomos, inteligência artificial, 5G e realidade combinada a partir de 2017. Para soluções de carros inteligentes, a empresa de tecnologia pretende investir US$ 250 milhões por ano, segundo Maurício Ruiz, diretor geral da Intel no Brasil. O[…]

Leia mais »
Desafio da Singularity University no Brasil tem como tema a educação no século 21 / Divulgação

Singularity University lança desafio de inovação no Brasil

A Singularity University lançou um desafio de inovação no Brasil, em parceria com a Universidade Positivo. A competição está aberta a cidadãos e residentes no País. O SingularityU Brazil Global Impact Challenge tem como tema educação para o século 21, e os projetos propostos devem se encaixar nos seguintes eixos: acesso à educação[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami