inova.jor

inova.jor

Fusão entre Anprotec e Abraii aproxima incubadoras e aceleradoras

A aceleradora Wayra, associada a Abraii, passa a integrar o grupo da Anprotec / Divulgação
A aceleradora Wayra, associada a Abraii, passa a integrar o grupo da Anprotec / Divulgação

A fusão entre a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e a Associação Brasileira de Empresas Aceleradoras de Inovação e Investimentos (Abraii) deve fortalecer o ambiente de empreendedorismo no País.

Isso porque, juntas, as associações criam uma rede completa formada por startups, aceleradoras, incubadoras, parques tecnológicos e investidores interessados.

Durante um ano e três meses, executivos das duas associações realizaram reuniões e assembleias no intuito de decidir se a fusão seria a melhor opção para ambas as organizações.

A resposta se deu em dezembro, quando a Abraii foi incorporada a Anprotec.

O fortalecimento do ecossistema de empreendedorismo numa só associação foi um dos motivos que facilitou a fusão, diz Alex Jacobs.

O executivo acumula agora as funções de diretor de ambientes de inovação da Anprotec e de diretor executivo da Abraii, enquanto essa ainda não é extinta.

“Na prática, a partir de agora, quando for discutido uma política pública, norma ou qualquer assunto sobre inovação, aceleração e incubação não será mais necessário chamar as duas associações, mas só a Anprotec. Isso deve dar mais agilidade para as decisões”, acredita Jacobs.

Investimentos

A Anprotec conta agora com 366 associados. Dentre eles, 21 aceleradoras da Abraii, com forte característica de investimento.

“Faz parte da história da Abraii ter maior contato com o mundo empresarial. O caminho para a primeira rodada de investimento ficará menos difícil agora”, completa o executivo.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Baixos custos e pouco tempo de curso atraem estudantes para startups de e-learning / Chris Devers / Creative Commons

Startups de educação à distância crescem na crise

O mercado de educação à distância está em ascensão. Com custos mais baixos e aulas interativas, o modelo tem atraído pessoas que querem se especializar, mas que contam com pouco tempo e dinheiro. As startups voltadas para educação são vistas como promissoras. Surgida em 2011, a Descola quer preencher lacunas pouco exploradas pelas[…]

Leia mais »
A startup argentina Nuvem Shop mira no e-commerce para empreendedor por necessidade do Brasil / Divulgação

Startups apostam no crescimento do comércio eletrônico

O comércio eletrônico tem crescido a passos largos no País. Com a crise econômica, empreendedores por necessidade têm apostado na internet para fazer negócios. Somente em 2015, 39,1 milhões de pessoas compraram online, totalizando 106,5 milhões de pedidos, segundo pesquisa da Ebit. Os valores do ano passado ainda não foram divulgados, mas a estimativa[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami