inova.jor

inova.jor

Nokia anuncia Mika, assistente virtual para operadoras de telecomunicações

Primeira assistente virtual da Nokia promete ajudar operadoras de telecom / Domínio Público
Primeira assistente virtual da Nokia promete ajudar operadoras de telecom / Domínio Público

A primeira assistente virtual que funciona com inteligência artificial da Nokia não segue os passos da Siri ou da Alexa, que são serviços para o consumidor.

Ela foi criada exclusivamente para tornar o trabalho das operadoras de telecomunicações mais eficaz.

Chamada Mika (sigla em inglês de assistente de conhecimento intuitivo multifuncional), foi desenhada para ajudar engenheiros a encontrarem informações e maneiras de resolver problemas nas redes de telecomunicações. Ela funciona por comandos de voz, como interface de rede ou no celular.

A assistente combina inteligência aumentada com aprendizado automatizado para fornecer acesso a ferramentas, documentos e recursos de dados.

Ela também fornece recomendações baseadas em problemas vistos em outras redes, através da biblioteca de conhecimento do Nokia Ava, plataforma de serviços cognitivos que reúne com um repositório de práticas coletadas de projetos no mundo inteiro.

Segundo a empresa, a Mika pode economizar mais de uma hora por dia do tempo gasto em pesquisas dos engenheiros de telecomunicações.

Previsão de reparos

Além de Mika, a empresa finlandesa também vai lançar o Predictive Repair, o primeiro serviço para prever falhas de hardware na indústria das telecomunicações.

O serviço faz previsões com até 14 dias de antecedência e 95% de precisão, e estará disponível para operadores que utilizam equipamentos da Nokia em 3G e 4G.

A assistente digital Mika será apresentada durante Mobile World Congress 2017, evento realizado de 27 deste mês a 2 de março em Barcelona. O Nokia Predictive Repair estará disponível para testes no próximo mês.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Apesar de pouco usados, vários indicadores de qualidade ainda tratam de telefones públicos / Secom UnB/Creative Commons

Indicadores de qualidade precisam ser revistos

Os atuais indicadores que medem a qualidade dos serviços de telecomunicações, definidos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), podem ser considerados, ao mesmo tempo, excessivos e insuficientes. Excessivos porque geram um alto custo para as operadoras, que precisam manter e reportar mais de uma centena deles. Insuficientes porque não são[…]

Leia mais »
Ericson Scorsim lança o livro eletrônico 'Direito das Comunicações' / Divulgação

Como o direito das comunicações afeta as empresas

Apesar de usar intensivamente os serviços de comunicações (telefonia, internet e televisão), o brasileiro ainda conhece pouco as leis que regulamentam essas atividades e as obrigações das empresas do setor. Diante da escassez de livros sobre o tema, o advogado Ericson M. Scorsim, especialista em Direito das Comunicações, lançará nova[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami