inova.jor

inova.jor

Google Sintomas traz resultados verificados pelo Hospital Albert Einstein

Google Sintomas terá informações sobre sintomas com o aval da equipe do Einstein / Divulgação
Google Sintomas terá informações sobre doenças com revisão da equipe do Einstein / Divulgação

É cada vez mais comum as pessoas usarem a pesquisa do Google para tirar dúvidas sobre uma dor ou algum sintoma de doença.

Segundo o próprio mecanismo de busca, 1% das pesquisas são relacionadas a sintomas.

Para entregar informação de qualidade sobre saúde e dar um melhor direcionamento aos pacientes antes de buscarem um especialista, foi lançado esta semana o Google Sintomas, em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein.

Ao fazer uma busca por sintoma, o usuário visualiza uma ficha com informações básicas, métodos de tratamento e possíveis primeiros socorros.

As informações foram verificadas pela equipe de médicos do Einstein.

A ideia é que o sistema receba atualizações contantes sobre doenças que estejam em destaque no noticiário, como febre amarela e vírus zika.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Pesquisa aponta que 44% ainda preferem notícias selecionadas por um editor humano / Pablo/Creative Commons

Maioria prefere notícias escolhidas por algoritmo

Como você encontra as notícias que lê? Provavelmente, boa parte delas vem do seu feed do Facebook ou de uma busca no Google. A edição deste ano do Digital News Report, do Reuters Institute, apontou que a maioria das pessoas prefere que algoritmos escolham as notícias para elas, no lugar[…]

Leia mais »
A FCC decidiu acabar com a neutralidade de rede por três votos a dois / Stephen Melkisethian/Creative Commons

Qual é o significado do fim da neutralidade de rede nos EUA

A Federal Communications Commission (FCC), agência norte-americana de comunicações, decidiu hoje (14/12), por três votos a dois, acabar com as regras que garantiam a neutralidade de rede nos Estados Unidos. Mas o que significa isso? A neutralidade de rede define que toda informação que trafega pela internet deve ser tratada[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *