inova.jor

inova.jor

O plano de comunicação da startup é tão importante quanto o plano de negócios

A estratégia de comunicação deve acompanhar a realidade de cada startup /Steven Zwerink/Creative Commons
A estratégia de comunicação deve acompanhar a realidade de cada startup /Steven Zwerink/Creative Commons

Não é de hoje que os ventos deixaram de soprar favoráveis à economia brasileira. Ainda assim, dados revelam a boa fase das startups – novos negócios, geralmente da área de tecnologia – no País.

De acordo com a Associação Brasileira de Startups (ABS), atualmente há 4,2 mil empresas em desenvolvimento no Brasil. Ainda não há dados compilados do crescimento em 2016, mas o índice foi de 30% no ano anterior.

O estudo Global Startup Ecosystem Ranking 2015, o mais recente realizado pela empresa Compass, apontou São Paulo como a 12ª cidade mais favorável para a criação de novos empreendimentos – a melhor da América Latina.

A explicação pode estar ligada ao DNA dos seus modelos de negócios: enxutos, colaborativos e altamente tecnológicos.

Crescimento

Monica Lourenci, da Zeno / Divulgação
Monica Lourenci, da Zeno / Divulgação

Apesar do cenário positivo, sabemos que nem todas as startups decolam e mais: as que se concretizam nem sempre compartilham a mesma sorte.

Há novatos que quebram nos primeiros meses, outros que apresentam uma curva de crescimento mais previsível e os que fazem sucesso da noite para o dia.

Seja qual for a realidade da empresa, há duas questões determinantes:

  1. o plano de comunicação de uma startup é tão importante quanto seu plano de negócios e
  2. a estratégia de comunicação deve acompanhar a realidade dos empreendimentos.

Assim como existem startups com diferentes realidades, há diversas formas de comunicar produtos e serviços a cada stakeholder em múltiplos canais – e isso vai depender do momento desses negócios, do contexto econômico em que eles estão inseridos, do perfil da startup, de seus públicos e objetivos.

São, portanto, muitas questões a serem equalizadas. Empreendimentos pequenos, ainda sem investidores de porte, demandam uma comunicação tão focada quanto certeira.

É um trabalho de formiguinha: consistente, coerente e permanente. Já as startups que vingam, que de uma hora para outra se encontram no centro das atenções, também demandam ações objetivas como as anteriores, é claro, porém mais rápidas e agressivas.

Uma empresa desse tipo precisa, além de se comunicar com o seu público, estar alinhada às necessidades do mercado, respondendo perguntas e se posicionando positivamente frente a questões atuais, desafios e crises.

Comunicação contemporânea

Ao chegar no Brasil, o Uber, por exemplo, teve de conquistar clientes e, ao mesmo tempo, lidar com as questões legais que ameaçavam inviabilizar seu negócio no País.

Hoje, globalmente, os desafios da marca são outros – o presidente da empresa, Jeff Jones, renunciou sete meses após assumir o posto, reacendendo o debate para questões que vêm comprometendo a imagem da companhia.

Algo parecido aconteceu com a Loggi: expandia com sucesso até que precisou lidar com um protesto de seus colaboradores, que reclamavam de condições de trabalho.

Comunicação envolve reputação, confiança e transparência. E só uma comunicação integrada com estratégia bem elaborada e executada, alinhada aos desafios de negócio do cliente e à essência da marca, dá conta do recado na tarefa de construir uma marca, gerar engajamento e concorrer com os grandes.

Uma comunicação contemporânea deve considerar pesquisa, branding, digital, criação e ativação, e pode ser uma das principais responsáveis pelo crescimento da base de usuários e clientes de uma empresa, além de atrair talentos, oportunidades e capital.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Recrutadores têm dificuldade de encontrar profissionais qualificados de tecnologia da informação / Leonardo Rizzi/Creative Commons

Por que sobram vagas em tecnologia da informação

Empresa de tecnologia da informação (TI) procura profissional com ou sem experiência, formado ou estudante de cursos na área, para contratação imediata. Remuneração: a combinar. Benefícios: ambiente de trabalho moderno, flexibilidade de horários, possibilidade de aprendizado e participação em projetos que ajudam a transformar a sociedade. Parece um anúncio de emprego[…]

Leia mais »
Dirigentes da Saint-Gobain planejam visitar semanalmente as startups do Cubo / Divulgação

Saint-Gobain procura startups no Cubo

Criado no ano passado, o Cubo Coworking Itaú tornou-se um espaço de referência para startups digitais, principalmente para as chamadas fintechs, que oferecem serviços financeiros. Recentemente, a Saint-Gobain fechou uma parceria com o Cubo. O que uma empresa de materiais de construção e industriais busca nesse ambiente? “É um projeto muito importante para[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami