inova.jor

inova.jor

Siemens procura desenvolvedores de aplicativos para a indústria

O MindSphere, da Siemens, permite analisar em tempo real dados gerados por máquinas / Renato Cruz/inova.jor
O MindSphere, da Siemens, permite analisar em tempo real dados gerados por máquinas / Renato Cruz/inova.jor

HANNOVER

Na chamada Indústria 4.0, as máquinas são conectadas e geram informações a partir de sensores. O software que controla o chão de fábrica está ligado ao sistema de gestão empresarial.

É possível receber eletronicamente os pedidos dos clientes e fabricar produtos personalizados sem paradas da linha de produção para reconfigurá-la.

Nesse cenário, o software tem um papel fundamental. “O Brasil é o terceiro maior produtor de software do mundo, e precisamos tirar proveito dessa posição”, afirmou Renato Buselli, vice-presidente sênior de Fábrica Digital da Siemens no Brasil, durante a Feira de Hannover, na Alemanha.

A Siemens demonstra no evento, que termina amanhã (28/4), o MindSphere, um sistema operacional em nuvem para internet das coisas.

Aplicativos para fábrica

Trata-se de um software contratado com serviço, que capta os dados gerados por sensores de máquinas e permite analisá-los, por meio de aplicativos criados pela Siemens ou por terceiros.

“Com a análise dos dados, é possível identificar tendências e abrir a porta para novos negócios”, destacou Buselli.  No evento, a Siemens apresentou cerca de 50 aplicativos, desenvolvidos por parceiros como Atos, Accenture e Evosoft.

Lançado no ano passado na Alemanha, o MindSphere deve chegar este ano ao Brasil. Inicialmente, o sistema rodava na infraestrutura de nuvem da SAP, mas a Siemens também fechou acordos com a Microsoft e com a Amazon Web Services (AWS).

Com a análise de dados das máquinas em tempo real, é possível, por exemplo, identificar problemas antes que eles interrompam a produção e aumentar a eficiência da fábrica.

Um exemplo de uso do MindSphere está na própria fábrica de PCs industriais da Siemens em Karlsruhe, em que o monitoramento das máquinas responsáveis pelos testes dos computadores é feito por meio da plataforma.

No segundo semestre, a Siemens planeja lançar o MindSphere Rocket Club, um programa mundial de startups. A ideia do programa é apoiar as empresas anunciantes e colocá-las em contato com usuários da plataforma.

Competitividade da indústria

A Indústria 4.0 é uma oportunidade para as empresas brasileiras retomarem a competitividade. “A indústria brasileira precisa estar conectada ao mundo”, afirmou Buselli.

Ele citou, entre os setores estratégicos no Brasil, o agronegócio, indústria automobilística, aeroespacial, de bebidas e de vestuário. “Não faz mais sentido proteger todos os setores”, disse o executivo.

  • O jornalista viajou a convite da Siemens

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Preços do varejo eletrônico brasileiro caem em dezembro

Os preços do varejo eletrônico brasileiro apresentaram retração de 2,01% em dezembro, comparado ao mesmo mês de 2015. Isso aconteceu após 21 meses consecutivos de alta de preços. Em relação a novembro de 2016, o índice Fipe Buscapé registrou uma queda de 1,76%. Em março, o índice de preços do e-commerce havia[…]

Leia mais »

Cetip cria programa de aceleração para fintechs

Cada vez mais empresas consolidadas apostam em startups. A Cetip, gigante do mercado financeiro, anunciou ontem (11/8) o programa de aceleração Foresee, que beneficiará 10 fintechs (empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros). O programa acontecerá em Florianópolis, com apoio da aceleradora Darwin Starter. Por nove meses, as startups ficarão no coworking da Associação[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami