inova.jor

inova.jor

Olimpíada Brasileira de Robótica está com inscrições abertas

Robôtica: Equipes de dois a quatro competidores podem se inscrever na modalidade prática da olimpíada / Denise Casatti/Divulgação
Equipes de dois a quatro competidores podem se inscrever na modalidade prática da olimpíada / Denise Casatti/Divulgação

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) está com as inscrições abertas até 20 de maio. A competição tem como objetivo incentivar estudantes dos ensinos fundamental, médio e técnico a trabalharem em equipe para construir robôs e programá-los.

A OBR tem duas modalidades: teórica e prática. Na modalidade teórica, os alunos fazem um prova na sua própria escola durante a primeira fase.

As questões estão relacionadas à aplicação da robótica na resolução de problemas práticos do dia a dia.

No ano passado, a modalidade teórica teve 110 mil participantes.

Na modalidade prática, equipes de dois a quatro competidores precisam criar robôs capazes de enfrentar sozinhos obstáculos e desafios numa pista de madeira.

Existem dois níveis de dificuldade: um voltado a alunos do ensino fundamental e outro a alunos dos ensinos médio e técnico.

No ano passado, 2,9 mil equipes se inscreveram na modalidade prática da olimpíada.

Inscrições

A participação na competição é gratuita, e as inscrições pode ser feitas no site da OBR. A final nacional será realizada de 7 a 10 de novembro, em Curitiba.

As informações foram divulgadas pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O jornalista Renato Cruz, do inova.jor, comenta a decisão de um tribunal de Miami, nos Estados Unidos, de que amigos de redes sociais não são amigos de verdade.

Amigos do Facebook são amigos de verdade?

O jornalista Renato Cruz, do inova.jor, comenta a decisão de um tribunal de Miami, nos Estados Unidos, de que amigos de redes sociais não são amigos de verdade. Assine o canal do inova.jor no YouTube. Comentários comentários

Leia mais »
Martijn de Waal defende o uso de ferramentas digitais em projetos de urbanização / Renato Cruz/Inova.jor

Quatro maneiras de hackear sua cidade

Martijn de Waal, pesquisador da Universidade de Ciências Aplicadas de Amsterdã, não gosta do conceito de cidade inteligente. Ontem (16/3), durante apresentação no Red Bull Station, em São Paulo, ele mostrou uma série de imagens de cidades inteligentes. “Quando as pessoas falam desse assunto, normalmente acabam em coisas como estas”, afirmou,[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami