inova.jor

inova.jor

Robôs industriais enfrentam riscos de segurança

Estudo identificou software obsoleto e inseguro em robôs industriais conectados / Florian Voggeneder/Creative Commons
Estudo identificou software obsoleto e inseguro em robôs industriais conectados / Florian Voggeneder/Creative Commons

Os robôs industriais conectados à internet representam um risco de segurança, segundo relatório da Trend Micro. Eles são parte essencial da chamada Indústria 4.0.

O estudo aponta que, para que as ameaças sejam mitigadas, é necessário melhorar a qualidade do software incorporado nessas máquinas, num esforço conjunto de profissionais de segurança digital, desenvolvedores de sistemas e fornecedores de equipamentos.

O país que tem mais robôs conectados são os Estados Unidos. Até 2018, fábricas do mundo todo devem ter 1,3 milhão de robôs.

Os riscos incluem danos físicos, sabotagem por ransomware (exigência de resgate) e roubo de informações confidenciais da rede da fábrica.

Vulnerabilidades

Segundo a Trend Micro, interfaces como web services e APIs (sigla em inglês de interfaces de programação de aplicação) criam a possibilidade de que criminosos assumam o controle dos robôs remotamente.

A empresa de segurança aponta que muitos sistemas têm como base sistemas operacionais vulneráveis e ultrapassados, como o Linux 2.6 (a versão atual é a 4.11).

Alguns dispositivos permitem até acesso irrestrito por meio de credenciais anônimas.

Um teste prático identificou os seguintes problemas:

  • Componentes de software sem atualizações e ultrapassados;
  • Padrões e práticas ruins de autenticação;
  • Interface de web insegura.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A estratégia de internet das coisas da Samsung passa por todas linhas de produtos / Renato Cruz/inova.jor

CES 2017: Samsung quer que você converse com a geladeira

LAS VEGAS A Samsung anunciou hoje (4/1) a segunda geração de sua linha de geladeiras conectadas, chamada de Family Hub 2.0. Uma das principais novidades foi a incorporação de comandos de voz. É possível, por exemplo, pedir para a geladeira (que tem uma tela sensível ao toque integrada) tocar músicas[…]

Leia mais »
Instituto de pesquisa do Senai, na Bahia, está entre as visitas programadas do programa / Rafael Martins / Sistema FIEB/ Divulgação

Embrapii e CNI querem aproximar empresários e institutos de pesquisa

Empresários interessados em aproximar suas companhias de institutos e centros de pesquisa no Brasil e no exterior já podem se inscrever no Programa de Imersões em Ecossistemas de Inovação. O projeto é fruto da parceria entre a Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), da Confederação Nacional da Indústria (CNI), e a[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami