inova.jor

inova.jor

E se seu ciclo de planejamento estratégico fosse diferente?

Planejamento estratégico: A construção conjunta envolve dedicação e valorização dos detalhes que são construídos um a um / Giorgio Montersino/Creative Commons
A construção conjunta envolve dedicação e valorização de detalhes construídos um a um / Giorgio Montersino/Creative Commons

Sempre gostei de protótipos.

A intensificação do estudo de temas como design thinking e U theory me reaproximaram do exercício da prototipagem e relembraram a força desse método para liberar o potencial criativo e envolver grupos na construção de uma visão de futuro na qual acreditam.

Processos de planejamento estratégico são naturalmente desafiadores.

Tentam antecipar o futuro sem nos dar a bola de cristal e nos força a enfrentar cara a cara nossas fraquezas sob o argumento de que as boas estratégias apenas serão eficazes se o fizermos com muita coragem.

Tudo isso é verdade, mas será que existem outras maneiras de fazê-lo?

Em minha opinião a resposta é afirmativa e minha experiência vem sendo bem-sucedida. Me permita compartilhá-la.

Na quase totalidade dos casos, os materiais são os causadores do primeiro impacto.

Raramente legos, bonecos, carrinhos, papel, pedras, moedas ou brinquedos fazem parte dos sisudos ciclos de planejamento estratégico.

A ansiedade causada, se bem utilizada, pode ser uma alavanca à experiência e tornar-se a cereja do bolo para uma experiência excelente.

Outro aspecto relevante é a oportunidade de, brincando, construir o futuro.

Não é diferente da época em que inventávamos super-heróis, construíamos castelos e imaginávamos tramas fantásticas, a não ser pelo fato de que estamos usando a mesma capacidade cognitiva para a construção de um cenário.

Se gostávamos antes, porque não gostaríamos agora?

Valorização dos detalhes

Alexandre Carrasco, da Repensando Negócios / Divulgação
Alexandre Carrasco, da Repensando Negócios / Divulgação

A construção conjunta é outra vantagem fundamental.

Gostamos de trabalhar em conjunto, de ser ouvidos e entendidos. A construção conjunta não envolve explicação, justificativas ou repreensão, mas dedicação e valorização dos detalhes que são construídos um a um.

É a contribuição individual para um futuro coletivo que se constrói de maneira orgânica e sutil tendo propostas sólidas, criativas e harmônicas como seus principais resultados.

Os benefícios não param aqui.

O fato de se colocar os dois lados do cérebro para trabalharem permitem que soluções que não seriam identificadas simplesmente pela análise lógico-racional venham à tona e acrescentem-se às soluções mais comuns, tornando o exercício completo e os cenários criados, concretos.

Assim, o protótipo dá sentido ao planejamento permitindo que os participantes visualizem caminhos para sua implementação e seus potenciais benefícios.

Experimente incluir a prototipagem como uma das ferramentas em seu planejamento e surpreenda-se.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Número de organizações interconectadas deve quase dobrar até 2017 / Divulgação

Interconexão de empresas combina mundos físico e digital

A era da computação começou em meados dos anos 1980 nas empresas, com bases proprietárias de dados e informações manipuladas em fitas ou disquetes. Dez anos depois, as empresas perceberam que precisavam conectar-se para alcançar o desenvolvimento – cresceram as redes de dados e os PCs passaram a ser adotados em[…]

Leia mais »
Mais da metade da geração Z prefere trabalhar em casa / Ophir Geffen/Creative Commons

A geração Z deve transformar o mundo dos negócios

Com as atenções voltadas para os millennials, nascidos entre 1980 e 1995, talvez você não tenha se atentado à geração Z, os nascidos ente 1996 e 2010, que representam 27% da população mundial. A quantidade dessas pessoas e sua a influência no mundo dos negócios afetarão tanto o comportamento de[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami