inova.jor

inova.jor

Vivo Empresas quer crescer com serviços de nuvem

Alex Salgado, da Vivo Empresas, promete serviços de nuvem de 10% a 30% mais baratos / Renato Cruz/inova.jor
Alex Salgado, da Vivo Empresas, promete serviços de nuvem de 10% a 30% mais baratos / Renato Cruz/inova.jor

A Vivo Empresas, divisão de serviços corporativos da Telefônica Brasil, anunciou hoje (12/6) uma ampliação do serviço de nuvem Vivo Cloud Plus.

A empresa tem uma parceria com a VMware, fornecedora de software, e com a Huawei, responsável pelos equipamentos.

Os serviços são prestados a partir de nove data centers da Telefônica espalhados pelo mundo, sendo um deles no Brasil, em Barueri (SP).

A VMware é líder no mercado de software de virtualização, usado em nuvens privadas (que usam infraestrutura própria das empresas que as utilizam).

A Vivo Empresas espera que a parceria com a empresa de software de virtualização facilite implementar soluções de nuvem híbrida, que combina infraestruturas pública e privada.

Crescimento

Os serviços fixos da Telefônica enfrentam um desafio de crescimento.  No primeiro trimestre deste ano, a receita líquida das operações fixas caíram 2,2%, para R$ 4,1 bilhões.

O faturamento com dados corporativos e tecnologia da informação subiram 1,9%, para R$ 478 milhões.

Segundo Alex Salgado, vice-presidente de serviços corporativos da Telefônica Vivo, o Cloud Plus consegue ser de 10% a 30% mais barato do que concorrentes de nuvem pública, como Amazon Web Services e Microsoft Azure.

O produto tem como alvo empresas médias e grandes, com mais de 50 funcionários.

A ideia é aproveitar o crescimento do mercado global de nuvem, com expansão prevista de 18% para este ano, chegando a US$ 246,8 bilhões, de acordo com o Gartner.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Ana Cláudia Souza é beneficiária do Bolsa Família e recebeu o kit de TV digital / Ana Nascimento/MDS

O que falta para desligar a TV analógica em São Paulo

São Paulo foi a primeira cidade brasileira a receber o sinal de TV digital, em dezembro de 2007. Deve ser a segunda grande cidade a ter a TV analógica desligada, em 29 de março. Em novembro do ano passado, houve o desligamento em Brasília. A TV analógica precisa ser desligada[…]

Leia mais »
Amos Genish, da Vivo, diz que empresas precisam ser mais inovadoras

‘Brasil precisa criar centros tecnológicos’, diz presidente da Vivo

“O Brasil precisa criar centros tecnológicos aqui”, afirmou ontem Amos Genish, presidente da Vivo, durante a inauguração da nova sede da Wayra, aceleradora de startups do grupo espanhol. “Para saírem da crise, as empresas brasileiras precisam inovar mais, para se tornarem mais competitivas.” Segundo Genish, não falta competência aos profissionais[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami