inova.jor

inova.jor

‘Controle de franquia de banda larga representa retrocesso’

Infraestrutura: Discussão sobre franquia de dados da banda larga tem se limitado ao acesso / mohsend72/Creative Commons
Projeto de lei quer proibir a franquia de dados nos planos de banda larga / mohsend72/Creative Commons

Os provedores regionais, que levam a conectividade e a inclusão digital para pequenas cidades e regiões onde as grandes operadoras têm pouco ou nenhum interesse em trabalhar, correm o risco de gerar restrições aos seus usuários no acesso à internet e ao mesmo tempo encarecer os serviços.

Isso porque a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou a possibilidade de autorizar a implantação de um novo modelo de cobrança da banda larga fixa.

O modelo prevê a adoção de um limite mensal (franquia) para o volume de dados transmitidos (megabytes/mês), além do já existente para a velocidade de transmissão (megabits/segundo).

Com a resolução, o usuário passa a ter uma franquia mensal com velocidade e volume de dados preestabelecidos.

Caso ultrapassasse o limite, o usuário pode ser cobrado pelo consumo excedente, ter sua velocidade de conexão reduzida ou até mesmo interrompida.

Ou seja, o simples envio de um e-mail poderia ser suspenso assim que o usuário atingisse seu limite de conexão.

Além disso, a adoção da medida teria consequências que representariam um retrocesso ao desenvolvimento das populações pouco assistidas pelas grandes operadoras.

Sem falar no impacto que causaria ao mercado corporativo, empreendedores e profissionais autônomos, pois todos os negócios dependem de conectividade, criando, assim, obstáculos para as operações.

Ou seja, o setor econômico e a competitividade sofreriam um atraso em um mundo cada vez mais dependente de comunicação, impedindo avanços e inovações.

Luz no fim do túnel

Rudinei Santos Carapinheiro, da Skylane Optics / Divulgação
Rudinei Santos Carapinheiro, da Skylane Optics / Divulgação

Felizmente, o projeto de lei nº 174/2016, que proíbe a adoção de franquia limitada de dados nos planos de banda larga fixa no Brasil, foi aprovado no Senado Federal e tramita agora na Câmara dos Deputados, para posterior sanção ou veto do presidente da República.

A medida é um contraponto importante que contribui para o bom senso. Os provedores regionais, que terão um impacto muito negativo nos negócios caso a medida não seja aprovada, já sofrem com a falta de incentivos de crédito e financiamento.

Apesar disso, contribuem para um crescimento anual de 4,79% no número de acessos fixos, totalizando cerca de 26 milhões, segundo dados da Associação Brasileira dos Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint).

No entanto, ainda há uma parcela significativa de domicílios excluídos da conectividade.

Dados do IBGE de 2016 calculam que apenas 57,8% dos domicílios brasileiros possuem acesso à internet. Existe uma boa oportunidade para o crescimento especialmente no Norte e Nordeste, onde há mais locais com dificuldade de acesso à banda larga fixa.

Portanto, é urgente que todos os envolvidos reflitam sobre a importância do incentivo às atividades dos pequenos provedores e, além de aprovar o projeto de lei nº 174/2016 para proibir o limite de franquia de dados, há questões simples de serem resolvidas para viabilizar seus negócios.

Linhas de financiamento, redução de custos de manutenção de postes e até mesmo a homologação de equipamentos fabricados localmente facilitariam o desenvolvimento dos verdadeiros protagonistas da conectividade no País.

  • Rudinei Santos Carapinheiro é diretor de novos negócios da Skylane Optics

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Infraestrutura: Discussão sobre franquia de dados da banda larga tem se limitado ao acesso / mohsend72/Creative Commons

Só a banda larga cresce nas telecomunicações brasileiras

No ano passado, a banda larga fixa foi o único serviço de telecomunicações que cresceu no Brasil, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O País ganhou 1,1 milhão de novos acessos, o que representou um crescimento de 4,33% sobre 2015. Em novembro e dezembro, no entanto, a banda larga fixa[…]

Leia mais »
Espectadores podem acompanhar dados sobre os jogadores da NFL em tempo real / Alan Kotok/Creative Commons

Como a análise de dados em tempo real impulsiona a inovação

Se você quiser ver o que a internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) é capaz de fazer, basta olhar para um jogador da NFL (liga profissional de futebol americano) de hoje. Dois sensores do tamanho de uma moeda, colocados nas ombreiras usadas pelos jogadores, se comunicam mais de[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami