inova.jor

inova.jor

TIM investe em banda larga via fibra óptica para crescer

O serviço TIM Live deve ser expandido de cinco para pelo menos 10 cidades em 2018 / Gonzalo Tapia/Creative Commons
O serviço TIM Live deve ser expandido de cinco para pelo menos 10 cidades em 2018 / Gonzalo Tapia/Creative Commons

A TIM Brasil planeja expandir sua rede óptica para crescer em serviços fixos.

“A partir de hoje, só vamos oferecer FTTH”, disse na sexta-feira (8/12) Fabiano Ferreira, diretor da Unidade de Negócios Residencial e de Pequenas e Médias Empresas da operadora.

FTTH é a sigla de Fiber To the Home, e refere-se ao tipo de rede em que a fibra óptica chega até a casa do assinante.

Até agora, a TIM Brasil vinha usando a solução de Fiber To the Curb (FTTC), em que a conexão final entre o cliente e a rede da operadora é feita com cabos de cobre.

A adoção de FTTH deve permitir à TIM oferecer conexões mais rápidas. As velocidades oferecidas hoje pelo serviço TIM Live vão de 35 megabits por segundo (Mbps) a 150 Mbps.

No terceiro trimestre deste ano, a receita com serviços fixos cresceu 7%, acima dos 4,7% de avanço registrado pela receita líquida total.

Levando-se em conta somente o TIM Live, o aumento foi de 54,1%.

O faturamento com serviços fixos, no entanto, ainda é pequeno. Ele somou R$ 200 milhões no trimestre, o que equivale a somente 5% do total.

Mais cidades

Atualmente, o TIM Live está presente em cinco cidades: São Paulo, Rio de Janeiro e mais três municípios da Baixada Fluminense.

Nessas cidades, a rede da operadora já passa por cerca de 40 mil residências.

A ideia, segundo Ferreira, é pelo menos dobrar o total de cidades com banda larga em fibra em 2018. Ele não revelou quanto é o investimento previsto para essa expansão.

“Temos um estudo muito expressivo, que indicam mais de 100 cidades com potencial de receber o serviço”, explicou o executivo.

Além do potencial de mercado, a TIM levará em conta, na escolha das novas cidades, a rede óptica que já opera para conectar suas antenas celulares.

Antes de ingressar na TIM, Ferreira trabalhou na GVT, que posteriormente foi comprada pela Vivo. A GVT tinha presença em 160 cidades.

O serviço fixo com a rede 4G da TIM está disponível em 16 cidades, principalmente do Nordeste e Centro-Oeste.

Ele deve ser expandido para todos os municípios em que esteja livre a faixa de 700 MHz, que era ocupada pela TV analógica.

O desligamento da TV analógica começou no ano passado no Brasil.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Mobilidade: João Carlos Oliveira, da GS1, divulgou estudo sobre automação / Renato Cruz/inova.jor

Como a mobilidade afeta o comportamento do consumidor

O crescimento dos smartphones tem mudado o comportamento do consumidor brasileiro. Hoje (30/6), a Associação Brasileira de Automação (GS1 Brasil) divulgou a terceira edição de seu estudo Consumidores e empresas: tendências e comportamento no mercado nacional. “O consumidor busca automatizar sua vida cada vez mais pelo celular”, afirma João Carlos[…]

Leia mais »
Showroom da Oi em São Paulo tem demonstrações de internet das coisas e big data / Renato Cruz/inova.jor

Como o big data das telecomunicações pode ajudar as cidades

A análise das informações recolhidas pelas operadoras de telefonia móvel, como as mudanças na localização dos clientes durante o dia, abre uma grande possibilidade de melhora da vida nas cidades. Problemas de áreas como mobilidade urbana, educação, trabalho, turismo e segurança podem ser mais bem entendidos a partir do tratamento[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami