inova.jor

inova.jor

Claro Brasil investe em geração de energia limpa

José Antonio Felix anunciou a primeira fazenda de energia solar da Claro / Renato Cruz/inova.jor
José Antonio Felix anunciou o primeiro parque de geração de energia solar da Claro / Renato Cruz/inova.jor

A Claro Brasil anunciou ontem (14/12) um programa de geração distribuída de energia limpa.

Controlada pela mexicana América Móvil, a operadora tem como meta reduzir em mais de 100 mil toneladas métricas a emissão de dióxido de carbono por ano. Isso equivale a tirar quase 420 mil carros de circulação.

Além da Claro, a empresa é dona das marcas Embratel e NET. Segundo a operadora, trata-se do maior projeto de geração distribuída de uma empresa privada no país.

Energia renovável

A fontes renováveis utilizadas serão:

  • solar,
  • eólica,
  • hidrelétrica,
  • biogás e
  • cogeração qualificada (termelétrica).

O objetivo é que o programa forneça 80% da energia utilizada pelas operações da operadora em todo o Brasil, o que corresponde a mais de 600 mil MWh/ano.

Em novembro, a Claro inaugurou um complexo de usinas solares nas cidades de Várzea de Palmas e Buritizeiro, em Minas Gerais.

O complexo ocupa 45 hectares, e gera energia suficiente para suprir uma cidade de 250 mil habitantes.

“Recentemente, inauguramos Andrômeda, a primeira fazenda de energia solar a trabalhar para a Claro”, destacou José Antônio Félix, presidente da empresa no Brasil.

Menos gastos

No ano que vem, a Claro planeja inaugurar mais 20 parques solares, quatro parques eólicos e três operações de cogeração qualificada.

Durante 2018 também será incorporada ao projeto energia gerada por pequenas centrais hidrelétricas.

A empresa estima redução média de 30% nas despesas anuais com energia.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Com dívida de R$ 65,4 bilhões, a Oi entrou ontem com pedido de recuperação judicial / Pablo Gonzalez/Creative Commons

Como fica a Oi após a aprovação do plano de recuperação

A Oi diminuiu 19% desde 2010, ano em que comprou a Brasil Telecom. Segundo a consultoria Teleco, a operadora tinha registrado receita líquida de R$ 29,5 bilhões naquele ano. No período de 12 meses até setembro de 2017, o acumulado ficou em R$ 23,9 bilhões. Na madrugada de ontem (20/12),[…]

Leia mais »
Os brasileiros compraram mais celulares e menos computadores / Foto: Hernán Piñera/Creative Commons

Brasil perde 13,7 milhões de acessos móveis em 2016

O Brasil perdeu 13,7 milhões de acessos móveis no ano passado, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O número inclui chips de celular, sistemas de comunicação máquina a máquina, placas de internet móvel e máquinas de cartão. O País encerrou 2016 com 244 milhões de acessos, uma queda de 5,3% sobre[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami