inova.jor

inova.jor

Como fica a Oi após a aprovação do plano de recuperação

Maioria dos credores aprovou o plano de recuperação judicial da Oi / Pablo Gonzalez/Creative Commons
Maioria dos credores aprovou o plano de recuperação judicial da Oi / Pablo Gonzalez/Creative Commons

A Oi diminuiu 19% desde 2010, ano em que comprou a Brasil Telecom.

Segundo a consultoria Teleco, a operadora tinha registrado receita líquida de R$ 29,5 bilhões naquele ano. No período de 12 meses até setembro de 2017, o acumulado ficou em R$ 23,9 bilhões.

Na madrugada de ontem (20/12), a maioria dos credores aprovou o plano de recuperação da companhia.

Concessionária de telefonia fixa em todos os Estados menos São Paulo, a Oi havia anunciado pedido de recuperação judicial em junho do ano passado.

Apesar do resultado favorável da Assembleia Geral de Credores, existem questões importantes em aberto.

A principal delas é a posição da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que votou contra o plano de recuperação.

O conselho da agência concluiu que não poderia aprovar parcelamento de multas devidas pela empresa, como previsto pelo acordo, sem que houvesse respaldo em lei.

Por causa disso, a Anatel planeja contestar na Justiça o plano aprovado. A Oi deve R$ 14,5 bilhões em multas ao regulador.

A agência chegou a sugerir que o governo editasse uma medida provisória que permitisse o parcelamento das multas, conforme o proposto pelo plano. Não foi atendida.

A decisão da Anatel, e também da Advocacia Geral da União (AGU), de contestar o plano na Justiça pode inviabilizar a injeção de R$ 4 bilhões em recursos dos atuais credores para capitalização da Oi.

Uma das condições para que se concretize a capitalização é que o governo abra mão de ações judiciais contra o plano.

Oposição

O fundo Société Mondiale, acionista minoritário da Oi, também planeja ir aos tribunais contra o plano. Ligado ao investidor Nelson Tanure, o fundo tem cerca de 5% da operadora.

Com a conversão de dívida em ações prevista pelo plano, a participação dos acionistas atuais pode cair em 75%.

É importante que uma operadora do porte da Oi volte a atuar sem problemas. Em várias cidades do país, ela é ainda a única opção dos consumidores.

A aprovação do plano de recuperação foi um passo importante. Existem, no entanto, desafios para ele se concretizar.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Antonio Quintas, diretor sênior de Mobile da Samsung, apresenta os novos modelos A5 e A7 / Mariana Lima / inova.jor

Samsung investe na marca depois dos problemas com o Note 7

A Samsung vai investir pesado em marketing neste ano para reforçar sua marca no Brasil. A decisão foi tomada depois dos problemas enfrentados em 2016 pelo Galaxy Note 7, um de seus aparelhos de topo de linha, que foi retirado do mercado mundial depois de dezenas de celulares pegarem fogo. “O Brasil é um mercado muito[…]

Leia mais »
Infraestrutura: Discussão sobre franquia de dados da banda larga tem se limitado ao acesso / mohsend72/Creative Commons

Falta de investimento pode comprometer internet no Brasil

O Brasil pode voltar a sofrer problemas de conectividade em caso de estagnação dos investimentos em infraestrutura de redes. A expectativa da indústria é que o dispêndio em redes de telecomunicações diminua 15% neste ano, segundo Paulo Castelo Branco, diretor executivo de telecomunicações da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami