inova.jor

inova.jor

Maioria das bibliotecas não oferece wi-fi público

Wi-fi: Estudo do Cetic.br apontou falta de recursos para tecnologia na área de cultura / Renato Cruz/inova.jor
Estudo do Cetic.br apontou falta de recursos para tecnologia na área de cultura / Renato Cruz/inova.jor

Somente 32% das bibliotecas brasileiras oferecem wi-fi público.

“Achamos que não é uma questão de não querer oferecer, mas de falta de infraestrutura mesmo”, afirmou ontem (17/1) Luciana Lima, coordenadora da pesquisa TIC Cultura 2016.

A pesquisa foi divulgada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

No ano passado, o Cetic.br entrevistou representantes de 2.389 equipamentos culturais, incluindo arquivos, bens tombados, bibliotecas, cinemas, museus, pontos de cultura e teatros.

A falta de wi-fi público foi um problema verificado nos demais equipamentos culturais.

Os que mais oferecem internet sem fio são pontos de cultura (46%) e teatros (44%). Os que menos oferecem são cinemas (28%) e bens tombados (25%).

Redes sociais

A pesquisa mostrou que redes sociais são mais usadas que sites próprios pelos equipamentos culturais.

Também descobriu que o uso das plataformas online está mais voltado à divulgação de notícias e atividades das instituições do que à difusão de conteúdos culturais.

Os principais obstáculos ao uso de computador e internet nos equipamentos culturais, segundo o estudo, são:

  • poucos recursos financeiros para investir em tecnologia;
  • baixa velocidade da conexão;
  • equipamentos ultrapassados; e
  • número insuficiente de computadores.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Google Sintomas terá informações sobre sintomas com o aval da equipe do Einstein / Divulgação

Google Sintomas traz resultados verificados pelo Hospital Albert Einstein

É cada vez mais comum as pessoas usarem a pesquisa do Google para tirar dúvidas sobre uma dor ou algum sintoma de doença. Segundo o próprio mecanismo de busca, 1% das pesquisas são relacionadas a sintomas. Para entregar informação de qualidade sobre saúde e dar um melhor direcionamento aos pacientes antes de buscarem[…]

Leia mais »
Antonio Moraes, da Microsoft, e Marcos Barros, da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo, falaram sobre educação no Start Eldorado / DIvulgação

Start Eldorado: Como a inteligência artificial muda a educação

A inteligência artificial começa a mudar a educação, inclusive no Brasil. Na quarta-feira (30/5), esse foi o tema do programa Start Eldorado, que teve como entrevistados Antonio Moraes, diretor de Educação da Microsoft Brasil, e Marcos Barros, diretor de Tecnologia da Informação da Secretaria de Estado da Educação de São[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *