inova.jor

inova.jor

Como a inteligência artificial muda o recrutamento e seleção

Economia de tempo é vista como o principal benefício do usa da inteligência artificial no recrutamento / Renato Cruz/inova.jor
Economia de tempo é vista como o principal benefício do usa da inteligência artificial no recrutamento / Renato Cruz/inova.jor

A  inteligência artificial ganha relevância nas atividades de recrutamento e seleção. A tendência foi um dos destaques do estudo Global Recruiting Trends 2018, do LinkedIn.

Setenta e seis por cento dos entrevistados (que incluem brasileiros) consideram que a inteligência artificial terá impacto de pelo menos alguma importância na contratação de pessoas.

As novas tecnologias podem tornar o trabalho dos recrutadores mais rápido e ajudar a perceber coisas que eles não conseguiriam sozinhos.

As principais aplicações da inteligência artificial, segundo a pesquisa, são descobrir candidatos (58%) e fazer a triagem deles (56%).

Os principais benefícios são:

  • economizar tempo (67%);
  • remover viés humano (43%);
  • conseguir candidatos mais adequados para as vagas (31%); e
  • economizar dinheiro, reduzindo o número de recrutadores (30%).

Os recrutadores não acreditam que a tecnologia vá substituí-los, pois a automação só é possível em parte das atividades de recrutamento e seleção.

Menos tempo

O estudo traz casos de uso de inteligência artificial, sendo que alguns deles usam tecnologia do próprio LinkedIn.

É o caso da Intuit, que conseguiu reduzir de 62 para 30 dias do processo de contratação, com um sistema que faz pré-seleção dos candidatos.

A Vodafone usa robôs para analisar entrevistas em vídeo, em que os candidatos respondem a perguntas padronizadas. As máquinas analisam 15 mil características, que incluem linguagem facial e entonação da voz.

No Brasil, 38% dos entrevistados acreditam que a inteligência artificial é uma das principais tendências que vão afetar a contratação de pessoas. No mundo, a média é de 35%.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Evento do inova.jor, com patrocínio da Unisys, reuniu líderes do setor bancário em mesa redonda sobre transformação digital

Quais são os caminhos dos bancos para a transformação digital

O setor bancário, assim como outros segmentos da economia, enfrenta um momento de grandes mudanças rumo à transformação digital. Nessa jornada, mais que mudar a infraestrutura de tecnologia da informação (TI) e processos, as empresas do setor devem passar por uma transição cultural para atender às novas demandas dos clientes.[…]

Leia mais »
O carro elétrico ainda responde por 0,2% das vendas no Brasil / Divulgação

O que falta para o carro elétrico deslanchar no Brasil

A demanda por carros elétricos no Brasil ainda é bastante modesta. No primeiro semestre, foram vendidas 1.944 unidades, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O volume representou somente 0,2% do total de 1,1 milhão de automóveis e comerciais leves comercializados no país de janeiro a junho.[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *