inova.jor

inova.jor

Governo Trump estuda criar rede estatal 5G

Governo Trump quer defender comunicações dos EUA da espionagem chinesa / Gage Skidmore/Creative Commons
Governo Trump quer defender comunicações dos EUA da espionagem chinesa / Gage Skidmore/Creative Commons

O Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos estuda criar uma rede estatal de comunicações móveis com tecnologia de quinta geração (5G), com o objetivo de defender o país de espionagem da China.

O site Axios divulgou apresentação de um dos representantes da Segurança Nacional do governo Donald Trump. A informação foi confirmada por outros serviços noticiosos, como a Reuters.

A criação de uma rede estatal seria medida incomum nos Estados Unidos. Mesmo enquanto manteve o monopólio das telecomunicações naquele país, até 1982, a AT&T era uma empresa privada.

O documento do governo dos EUA aponta a necessidade de o país ter uma “rede 5G centralizada, com cobertura nacional”, num período de três anos.

Entre as opções estudadas estão:

  • Que o governo construa sua própria rede; ou
  • Que as operadoras privadas deixem de lado o modelo comercial atual e unam-se num consórcio para construir a rede.

Os integrantes do governo Trump comparam o projeto ao sistema de estradas interestaduais criado durante o governo Dwight Eisenhower, em 1956.

Ameaça de segurança

A apresentação aponta as seguintes ameaças, para justificar o plano:

  • “A China assumiu uma posição dominante na fabricação e operação de infraestrutura de rede”; e
  • “A China é um ator dominante e mal-intencionado no domínio da informação”.

A proposta chega a sugerir a exportação do trabalho dos EUA numa rede 5G segura para mercados emergentes, com o objetivo de proteger “democracias aliadas” do “comportamento neocolonial” chinês.

A tecnologia 5G ainda se encontra em processo de padronização. Apesar disso, operadoras norte-americanas como AT&T, Verizon e T-Mobile já começaram a investir nessa área.

Atualmente, os principais fabricantes de infraestrutura são a chinesa Huawei, a sueca Ericsson e a finlandesa Nokia.

O governo dos EUA já impede que grandes operadoras do país adotem equipamentos da Huawei, por questões de segurança.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A multinacional brasileira, fundada por Marco Stefanini, promove seu primeiro hackathon no Rio / Renato Cruz/inova.jor

Stefanini promove hackathon sobre telecomunicações no Rio

A Stefanini vai promover, em 19 de janeiro, seu primeiro hackathon no Rio de Janeiro. As inscrições terminam em 15 de janeiro. Com até cinco integrantes, as equipes terão como objetivo encontrar uma solução criativa e economicamente viável para melhorar a experiência do usuário de telecomunicações. A equipe vencedora receberá[…]

Leia mais »
A realidade virtual deve ser novamente um dos destaques na CES 2017 / Renato Cruz/inova.jor

CES 2017: O que esperar do mercado de eletrônicos

A CES 2017, maior evento de eletrônicos do mundo, completa 50 anos. Embarco hoje (2/1) para Las Vegas para acompanhar as novidades deste ano. Em meio século de existência, a CES foi palco de lançamentos de tecnologias como o videocassete (1970), o DVD (1996) e o rádio digital (2000). Neste ano,[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami