inova.jor

inova.jor

Telefónica Open Future busca startups digitais

Telefónica Open Future: Em parceria com Inatel e Ericsson, o Crowd Vale da Eletrônica vai abrigar 15 startups / Divulgação
Em parceria com Inatel e Ericsson, o Crowd Vale da Eletrônica vai abrigar 15 startups / Divulgação

A Telefónica Open Future vai selecionar 66 startups com projetos de base tecnológica para processo de pré-aceleração em quatro espaços que mantém com parceiros.

As inscrições terminam em 5 de junho.

Os espaços que fazem parte da convocatória são:

  • Crowd Facens Sorocaba, no Centro de Empreendedorismo da Faculdade de Engenharia de Sorocaba (Facens), com 15 vagas;
  • Crowd Londrina, na Universidade Estadual de Londrina (UEL), em parceria com o Sebrae-Paraná, com 20 vagas;
  • Crowd Rio, em parceria com o Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com 16 vagas; e
  • Crowd Vale da Eletrônica, no Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), em Santa Rita do Sapucaí (MG), em parceria com a Ericsson, com 15 vagas.

As startups devem atuar em áreas como:

  • Internet das coisas (IoT, na sigla em inglês),
  • soluções digitais em telecomunicações,
  • agronegócio inteligente (agtech),
  • big data,
  • inteligência artificial,
  • End to End (E2E),
  • cidade inteligente, e
  • computação em nuvem.

Investimento

Os empreendedores terão acesso a capacitação, workshops e eventos, além de acesso a investidores e ao mercado. Eles também terão oportunidade de pleitear novo apoio ao Open Future, por meio da Wayra, que investe em startups.

Presente em 16 países, a Telefónica Open Future já investiu em mais de 800 startups. O Grupo Telefônica controla a Vivo.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Os dados são a nova moeda na quarta revolução industrial / Mikael Hvidtfeldt Christensen/Creative Commons

Por que a era da nuvem exige armazenamento rápido de dados

Independentemente da indústria, a capacidade de transformar dados em inteligência é a nova moeda competitiva no mercado. Hoje, empresas B2C se tornaram companhias de consumo e também de tecnologia. Para se manterem competitivas em um mercado de bens de consumo cada vez mais saturado, é exigido uma visão em tempo[…]

Leia mais »
Liderada pelo professor Gilberto Sarfati, GVentures não cobra taxas nem participação nas startups / Divulgação

Aceleradora da FGV oferece mentoria gratuita para startups

A aceleradora GVentures, da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas, oferece um programa gratuito de mentoria com duração de quatro meses. As inscrições vão até 31 de maio. Um dos requisitos é que a startup tenha um aluno ou ex-aluno da FGV como sócio.[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami