inova.jor

inova.jor

O que o brasileiro sentiu na estreia da seleção na Copa

A estreia na Copa envergonhou o brasileiro, mas não o desmotivou de continuar torcendo / Lucas Figueiredo/CBF
A estreia da seleção na Copa envergonhou o brasileiro, mas não o desmotivou de continuar torcendo / Lucas Figueiredo/CBF

Apesar de os sentimentos positivos serem predominantes entre os torcedores brasileiros, a estreia da seleção na Copa da Rússia causou vergonha.

Pelo menos foi isso que a torcida expressou no Twitter. A AP/Exata analisou 440.716 tuítes entre os dias 14 e 17 deste mês, para identificar as emoções do Brasil antes e durante o jogo contra a Suíça.

Torcedor brasileiro sentiu vergonha / Fonte: AP/Exata

No início do jogo, o brasileiro estava bastante orgulhoso da Seleção, segundo a AP/Exata, com 61% de orgulho e 39% de vergonha.

A intensidade do orgulho atingiu 73% depois do gol do Brasil, com 26% de vergonha. Com o gol da Suíça, o sentimento se inverteu, para 53% de vergonha e 46% de orgulho.

Mas o sentimento positivo recuperou-se logo em seguida, para depois cair de novo ao fim do jogo, quando os torcedores perceberam que o empate seria o placar definitivo.

Depois do final da partida, a vergonha chegou a 61% e o orgulho caiu para 38%.

A estreia do Brasil na Copa fez o torcedor ficar pessimista / Fonte: AP/Exata

O resultado da estreia também fez o brasileiro ficar pessimista. Durante a maior parte do jogo, os sentimentos de otimismo e pessimismo ficaram bem balanceados.

Com o gol da Suíça, o pessimismo passou a predominar, intensificando-se depois da partida.

Torcedor começou o jogo esperançoso / Fonte: AP/Exata

O torcedor passou a maior parte do jogo esperançoso. No início da partida, a esperança predominava com 70%, frente a 30% de descrédito.

No fim da partida, os dois sentimentos eram equivalentes.

Motivação

“O jogo envergonhou o torcedor, mas não o desmotivou a continuar torcendo pela seleção”, escreveu Sergio Denicoli, responsável pelo estudo.

Segundo ele, os sentimentos de esperança/descrédito ficaram focados na estreia da seleção.

Quando expressaram otimismo/pessimismo, no entanto, os torcedores misturaram as impressões sobre o jogo com sentimentos em relação ao país como um todo, citando questões econômicas e sociais.

“E, nesse quesito, acreditamos que um bom desempenho do Brasil na Copa poderá dar aos brasileiros um pouco mais de ânimo em relação ao país, pois a esperança está ali, sempre presente”, completou.

Com presença em Vitória, Brasília e Braga (Portugal), a AP/Exata é uma startup que trabalha com inteligência artificial, monitoramento de redes sociais e netnografia (análise de informações em meios online).

Sua metodologia tem como base o modelo de análise de emoções proposto por Robert Plutchik, professor da University of South Florida. Os algoritmos da empresa conseguem identificar até 32 sentimentos.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Primeira edição do programa de startups da Nexa foi limitado ao Brasil / Divulgação

Nexa busca startups com projetos de mineração e metalurgia

A Nexa, ex-Votorantim Metais, abriu inscrições para o Mining Lab 2, segunda edição de seu programa de startups. Os interessados podem se inscrever até 18 de março. A empresa busca projetos que possam ser aplicados à mineração e à metalurgia, nas seguintes áreas: automação; internet das coisas; logística; economia circular;[…]

Leia mais »
O filme 'Primer', dirigido por Shane Carruth, não é citado no livro de James Gleick / Reprodução

Com ‘A máquina do tempo’, H.G. Wells inventou o futuro

Antes de H.G. Wells publicar A máquina do tempo, em 1895, personagens de ficção já haviam visitado o futuro ou o passado, mas por acaso ou por obra dos deuses. Em Time travel: a history (Pantheon, 2016), James Gleick escreve que a ideia de se construir um dispositivo para viajar no tempo[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami