inova.jor

inova.jor

Por que a Embrapa precisa se reinventar, segundo a Economist

O trabalho da Embrapa foi responsável por tornar o Brasil um grande produtor de soja / Fernando Dias/Seapa
O trabalho da Embrapa foi responsável por tornar o Brasil um grande produtor de soja / Fernando Dias/Seapa

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) é uma joia da inovação no Brasil, mas enfrenta tempos difíceis e precisa se reinventar, segundo a Economist.

Antes da criação da Embrapa, em 1973, o cerrado brasileiro era considerado impróprio para a agricultura. Foi graças ao trabalho da estatal que o país tornou-se um grande exportador de commodities agrícolas.

No ano passado, a estatal deu de retorno à economia R$ 36 bilhões, mais de 10 vezes o seu orçamento.

Mas a revista britânica destaca que, de acordo com seus críticos, quase 90% da contribuição econômica da Embrapa vêm de pesquisas realizadas em seus primeiros 25 anos.

“Sete áreas de pesquisa, incluindo arroz e feijão, não deram retorno no ano passado”, aponta a publicação.

Mais competição

De acordo com a Economist, parte das críticas têm origem no fato de que, desde a década de 1990, a Embrapa enfrenta mais competição, de empresas estrangeiras como Bayer e Syngenta.

O ministra da Agricultura, Blairo Maggi, defende que a estatal concentre esforços em áreas em que as gigantes internacionais não atuam, como pesquisas sobre a combinação de criação de gado e agricultura para melhorar as condições do solo.

Outro problema apontado pela revista é a estrutura de custos da empresa. Setenta por cento do orçamento são consumidos em folha de pagamento e somente 2% em equipamentos de laboratório e testes de campo.

Neste ano, a Embrapa consolidou 17 unidades administrativas em seis e fechou quatro de seus 46 escritórios regionais.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A fabricante de tratores Agco adotou a nova versão do Glass em sua linha de produção / Divulgação

Google Glass volta ao mercado em versão para a indústria

Os óculos de realidade aumentada Google Glass fizeram bastante barulho quando foram apresentados aos consumidores, em 2013. Mas o aparelho acabou sendo tirado do mercado dois anos depois, por causa de preocupações com a privacidade, preço alto e baixa duração de bateria. O Glass acaba de ser relançado numa Enterprise[…]

Leia mais »
Entre as experiências imersivas, estava a realidade virtual / Divulgação

Com experiências imersivas, Klabin debate inovação na prática

Entre as experiências imersivas, estava a realidade virtual / Divulgação Como fazer com que clientes, fornecedores e colaboradores possam vivenciar, na prática, temas essenciais de inovação e sustentabilidade? Durante o evento Inova Klabin, os públicos de interesse da fabricante de papéis puderam participar de experiências imersivas para debater na prática[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami