inova.jor

inova.jor

Brasil cai em ranking global de conectividade

Crescimento do 4G foi destaque positivo do Brasil no GCI / Renato Cruz/inova.jor
Crescimento do 4G foi destaque positivo do Brasil no GCI / Renato Cruz/inova.jor

O Brasil caiu no Índice Global de Conectividade (GCI, na sigla em inglês), divulgado pela chinesa Huawei. O país ficou em 44º lugar, entre 79 países. No ano passado, estava na 30ª posição, entre 50 países.

O estudo analisa 40 indicadores. A pontuação geral brasileira foi a mesma de 2017, com 43 pontos num total de 100.

O índice leva em consideração indicadores de banda larga, data centers, nuvem, big data e internet das coisas, divididos em quatro pilares: oferta, demanda, experiência e potencial.

“O país desenvolveu rapidamente sua penetração de 4G nos últimos dois anos, o que levou a uma pontuação total na avaliação de banda larga móvel”, apontou o relatório. “Além disso, há melhora contínua em indicadores de cobertura 4G, investimento em big data e computação em nuvem. Como quarto maior mercado em volume de acessos à internet, tem um bom potencial para alcançar pontuação maior em FTTH (acesso em fibra óptica) e 4G nos próximos anos.”

O relatório aponta como exemplo dos problemas enfrentados pelo país a velocidade média de conexão de 0,55 megabit por segundo (Mbps) em 30,7% das residências. “Esse cenário é resultado direto de falta de infraestrutura para provedores de internet nas regiões mais distantes e menos povoadas e do preço geralmente alto dos planos de banda larga, que simplesmente não são acessíveis à vasta maioria dos cidadãos do Brasil”, completou.

Inteligência artificial

Um destaque do estudo foi o crescimento da inteligência artificial. O principal desafio nessa área, para o Brasil e outros países, é a baixa disponibilidade de profissionais qualificados.

Em 44º lugar, o Brasil ficou à frente de outros países latino-americanos, como Argentina (55º) e Colômbia (54º) , mas atrás do Chile (33º). O país foi classificado no grupo de nações “adopters”, que têm grande potencial de crescimento em novas tecnologias.

O Brasil ficou em 44º lugar no ranking de 79 países do GCI / DIvulgação

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Criada em 2015, a Easy Care Saúde conta hoje com 40 funcionários / Divulgação

Easy Care Saúde quer humanizar atendimento com tecnologia

A ideia de criar a Easy Care Saúde surgiu a partir de um momento difícil da vida de Tatiana Giatti, cofundadora e diretora de marketing da startup. Seu pai teve câncer no palato e precisou de atendimento domiciliar por sete meses. “Foram sete meses intensos”, lembra a empreendedora. Foi durante o[…]

Leia mais »
Rede social: Venturus aposta em projetos de casa conectada / Divulgação

Você está pronto para a rede social das coisas?

Na casa conectada, os equipamentos vão trocar informações e formar uma verdadeira “rede social das coisas”, na visão do Venturus, centro de pequisa e desenvolvimento localizado em Campinas. Marcelo Abreu, gerente executivo do Venturus, acredita que essa rede social mostrará, por exemplo, quais eletrônicos trabalham bem juntos, o que ajudará,[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami