inova.jor

inova.jor

O que falta para as fintechs avançarem no Brasil

Participação das fintechs no mercado brasileiro ainda é limitada / Renato Cruz/inova.jor
Participação das fintechs no mercado brasileiro ainda é limitada / Renato Cruz/inova.jor

 

O mercado bancário brasileiro é altamente concentrado, com spreads (diferença entre as taxas básicas e os juros efetivamente cobrados) elevados e tarifas em ascensão.

Essa situação beneficia o surgimento de fintechs, empresas de base tecnológica que oferecem serviços financeiros.

Um estudo divulgado recentemente pela Associação Brasileira de Fintechs (AB Fintechs) e pela PwC Brasil mostrou, no entanto, que a atuação dessas empresas ainda é limitada, apesar de o mercado ser bastante promissor.

Foram ouvidos 224 fundadores de fintechs durante o primeiro semestre. Apenas 12% das empresas dizem faturar mais de R$ 10 milhões ao ano.

Fonte: ABFintechs e PwC Brasil

Investimento

As entrevistas mostraram que o acesso a investimento ainda é uma dificuldade para as fintechs, sendo que 41% dos empreendedores ainda não tiveram acesso a capital.

Mais da metade das empresas que atingiram o breakeven (equilíbrio financeiro) ainda não recebeu investimento.

Mesmo assim, o mercado cresce, sendo que 95% dos empreendedores ouvidos pela pesquisa preveem aumento de receita para este ano.

Os principais segmentos de atuação das companhias são meios de pagamento (25%) e crédito (21%).

Meios de pagamento e crédito são os principais segmentos / Fonte: ABFintechs e PwC
Fonte: ABFintechs e PwC

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Maioria das mulheres empreendedoras no Brasil tem ensino superior e busca flexibilidade / Wocintech chat / Creative Commons

Renda maior e horário flexível levam mulheres a empreender

No próximo dia 8 será comemorado o dia internacional da mulher. Pensando nisso, o Fórum das Empreendedoras traçou o perfil das mulheres que empreendem no Brasil. O levantamento foi feito com base em entrevistas realizadas com 1,3 mil mulheres em todo o País, que já são empreendedoras (85%) ou que pensam[…]

Leia mais »
Rodrigo Salvador quer expandir o Passeidireto.com para outros países / Divulgação

Investidores apostam em startups de educação

Apesar da crise econômica, startups brasileiras que atuam no mercado de educação tem despertado o interesse de grandes grupos do setor. No mês passado, o Passeidireto.com, rede social em que universitários compartilham materiais de estudo, anunciou mais uma rodada de investimentos. A Chegg, empresa americana de educação, liderou um grupo de investidores que aportou[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *