inova.jor

inova.jor

MinC: ‘Ampliar a banda larga é uma medida cultural’

Vivemos um momento de conexão direta entre cultura e tecnologia.

“Acho que a principal medida cultural que se pode ter no nosso país é justamente a ampliação do acesso à banda larga e também aos smartphones”, afirma o Sérgio Sá Leitão, ministro da Cultura, em entrevista exclusiva ao inova.jor TIC.

“Porque, com o acesso ao smartphone e à banda larga, seja do ponto de vista pessoal, da informação, do conhecimento, da diversão, do entretenimento, do enriquecimento do repertório intelectual e da sensibilidade, seja do ponto de vista do exercício profissional, das profissões relacionadas à economia criativa, com o smartphone e com o acesso à banda larga é possível fazer praticamente tudo”, explica.

Leitão destaca que os meios digitais, a internet e os dispositivos móveis levaram o acesso a bens serviços culturais a um patamar inédito no Brasil.

“As novas tecnologias, sobretudo a revolução digital, impactaram muito positivamente o setor cultural”, diz o ministro. “Hoje, mais da metade do tráfego de dados nas redes de telecomunicações em nosso país são para acesso a conteúdos culturais diversos, streaming de música, acesso a filmes, séries e por aí vai.”

Eficiência e transparência

A digitalização também traz eficiência à administração pública.

“Esse é um dos efeitos mais positivos que as novas tecnologias podem ter sobre o dia a dia dos cidadãos”, afirma. “É o chamado e-government. Temos procurado no Ministério da Cultura trilhar esse caminho. É um caminho que, além de ampliar o alcance do que fazemos, dá uma grande dose de transparência à ação do ministério. E, obviamente, isso vale para todas as áreas do governo.”

O Ministério da Cultura tem lançado iniciativas par a incentivar os mercados de novas tecnologias no Brasil.

“Planejamos o lançamento neste ano de linhas de investimento, no âmbito da política de audiovisual, voltadas especificamente para games e também para realidade virtual e realidade aumentada, no valor de R$ 100 milhões. São algumas linhas exclusivas e algumas linhas compartilhadas”, diz.

Sérgio Sá Leitão destaca a importância de formar profissionais para atuar nesse mercado que une tecnologia e economia criativa.

“É fundamental um investimento agora em formação e capacitação”, ressalta.

O ministério vai lançar um programa em parceria com o Ministério da Segurança Pública para investir R$ 22 milhões em cursos de diversas profissões da economia criativa para jovens de comunidades do Rio de Janeiro.

 “A ideia é que depois esse programa possa ser expandido para outros Estados. Teremos 8.700 vagas agora nessa primeira leva. Isso deve começar em setembro. E lá vamos oferecer vários cursos profissionalizantes de 200 a 300 horas relacionados à tecnologia, inovação e economia criativa”, diz o ministro.

Para saber mais, assista à entrevista em vídeo com o ministro Sérgio Sá Leitão ao inova.jor TIC, que tem apoio da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil).

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

CPFL Energia seleciona scaleups com projetos inovadores / Divulgação

CPFL Energia seleciona projetos inovadores para setor elétrico

A CPFL Energia busca projetos inovadores para o setor elétrico e gestão corporativa. Os interessados podem se inscrever até 15 abril no site do programa de aceleração CPFL Inova, criado em parceria com a Endeavor e que está em sua segunda edição. O objetivo é selecionar 12 scaleups (empresas com[…]

Leia mais »
Medicamentos: André Kina, da 4Bio, aponta o custo do capital como um dos maiores problemas para o empreendedor brasileiro / Renato Cruz/inova.jor

4Bio: ‘Empreendedor precisa olhar o caixa com lupa’

No começo do ano passado, André Kina, presidente e fundador da 4Bio Medicamentos Especiais, recebeu uma notícia preocupante do seu diretor financeiro: a empresa teria problemas de capital no quarto trimestre. “O risco era muito grande”, afirma Kina. “Sempre crescemos de forma acelerada e o calcanhar de Aquiles da empresa[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *