inova.jor

inova.jor

Análise de dados pode incentivar a adoção de energia solar

Participação da energia solar é menor que 1% no Brasil / Som Energia Cooperativa
Participação da energia solar é menor que 1% no Brasil / Som Energia Cooperativa
No Brasil, somente 0,8% da energia produzida tem como fonte sistemas solares fotovoltaicos, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em 2040, essa participação pode chegar a 20%, de acordo com a Bloomberg. A Serasa Experian desenvolveu um projeto chamado Sunny, que calcula a viabilidade técnica e financeira da instalação de geração de energia solar em residências e empresas. “Temos um MVP (sigla em inglês de produto mínimo viável) que vai ser testado no Nordeste”, afirma Marcelo Pimenta, diretor do DataLab, laboratório de inovação da Serasa Experian. A empresa está finalizando acordo com um banco da região, que vai financiar a instalação dos painéis solares. A ideia é que as parcelas mensais do financiamento não sejam maiores do que a conta de luz atualmente paga pelos financiados.

Estágio de verão

O projeto foi desenvolvido durante três meses por uma equipe de três estudantes selecionados para o estágio de verão do DataLab. Por meio da análise de imagens de satélite, o sistema consegue calcular o potencial fotovoltaico do telhado de cada construção. Redes neurais, que rodam modelos computacionais inspirados no sistema nervoso, analisam fatores como tamanho, latitude e longitude. O projeto foi desenvolvido a partir de imagens de Barueri, na Grande São Paulo. Os dados sobre o potencial fotovoltaico de cada telhado são combinados a informações sobre o consumo de energia da construção e à análise de crédito do consumidor ou empresa, para cálculo da viabilidade de se instalar geração de energia solar fotovoltaica.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Cláudio Ferrari, da Sboc, participou de evento sobre gestão da informação aplicada à saúde / Renato Cruz/inova.jor

Análise de dados pode ajudar a salvar vidas

A saúde brasileira ainda precisa passar por uma revolução de informação. Segundo estudo da McKinsey, a adoção de tecnologias de análise de dados e big data poderia trazer um ganho de eficiência de 35% ao setor. Cláudio Ferrari, secretário de Comunicação Social da Sociedade brasileira de Oncologia Clínica (Sboc) participou[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *