inova.jor

inova.jor

Nokia: ‘Leilões não devem ser arrecadatórios’

O mercado brasileiro de telecomunicações tem muitas oportunidades. Tecnologias como a quinta geração das comunicações móveis (5G) e a internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) permitirão criar serviços para os usuários atuais e para novos segmentos.

“No Brasil, precisamos criar um ambiente regulatório que seja melhor para todos”, afirma Luiz Tonisi, vice-presidente de Vendas da Nokia Brasil, em entrevista exclusiva ao inova.jor TIC.

“Hoje, o que os usuários querem? Dados. E precisamos, aqui no Brasil, transacionar das leis que tínhamos, com foco em voz, e pensar nesse novo mundo.”

Tonisi defende que os leilões de frequência deixem ter foco arrecadatório, e passem a ter como principal objetivo ampliar a disponibilidade de serviços no país.

“Temos, do ponto de vista regulatório, para o próximo governo, os leilões das frequências que sobraram de 700 e 2.300 MHz, e esperamos que esses novos leilões, mais que arrecadatórios, sejam leilões que consigam dar mais para o Brasil em termos de serviços”, diz o executivo.

Internet no campo

Tonisi destaca a importância de se oferecer mais soluções de conectividade para o agronegócio.

“A agricultura representa hoje 25% da economia brasileira”, afirma. “O que nós como indústria estamos fazendo para atacar esse segmento? Imagine as fazendas que não estão 100% conectadas, até porque muitas delas estão em regiões mais afastadas do Brasil. Mas, e colocarmos ali uma conectividade? Mais do que isso, se a colocarmos ali uma conectividade pensando hoje nas novas tecnologias? Isso vai permitir novas receitas para os operadores, porque hoje isso não está sendo explorado.”

Além de mudanças no modelo de leilões de frequência, Tonisi ressalta a necessidade de reduzir a carga tributária, de dar uma destinação correta aos fundos setores, da assinar os termos de ajustamento de conduta e da aprovar o projeto para atualizar a legislação do setor.

Segundo o executivo, é necessário que fornecedores de infraestrutura e operadores fazerem um esforço conjunto para acelerar a digitalização do Brasil, levando novas soluções para mercados pouco atendidos atualmente.

Para saber mais sobre a opinião de Luiz Tonisi, da Nokia, assista à entrevista em vídeo ao inova.jor TIC, que tem apoio da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil).

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Crescimento do 4G foi destaque positivo do Brasil no GCI / Renato Cruz/inova.jor

Brasil cai em ranking global de conectividade

O Brasil caiu no Índice Global de Conectividade (GCI, na sigla em inglês), divulgado pela chinesa Huawei. O país ficou em 44º lugar, entre 79 países. No ano passado, estava na 30ª posição, entre 50 países. O estudo analisa 40 indicadores. A pontuação geral brasileira foi a mesma de 2017,[…]

Leia mais »
Samsung anunciou o lançamento do Galaxy Note 7 em evento no Parque Olímpico, no Rio / Renato Cruz/inova.jor

Quanto custa para a Samsung acabar com o Galaxy Note 7

O Galaxy Note 7 foi anunciado no começo de agosto durante evento que aconteceu simultaneamente em Nova York, Londres e no Parque Olímpico, no Rio. O smartphone era uma grande aposta da fabricante sul-coreana para disputar a faixa superior do mercado, e trazia novidades como o recurso de reconhecimento de íris. O produto acabou, no[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami