inova.jor

inova.jor

Saúde móvel pode se tornar a principal aplicação dos vestíveis

Cresce o uso de pulseiras inteligentes, para aplicações de saúde / Emily A. Stewart/Creative Commons
Cresce o uso de pulseiras inteligentes, para aplicações de saúde / Emily A. Stewart/Creative Commons

Os computadores vestíveis, como relógios inteligentes, já são tendência há alguns anos, mas a maioria das pessoas ainda não sabe muito bem o que fazer com eles.

Uma pesquisa da Accenture mostra que uma aplicação de sucesso é na área da saúde móvel, segundo a Business Insider. A consultoria ouviu mais de 8 mil consumidores em sete países.

Desse total, 33% reponderam que usavam aplicativos de saúde, comparados a 16% em 2014, e 21% adotavam vestíveis, como os produtos da Fitbit, frente a somente 9% há dois anos.

A pesquisa trouxe outros dados interessantes. Noventa por cento dos respondentes compartilhariam dados com médicos e hospitais, mas somente 63% aceitariam tornar suas informações disponíveis para empresas de seguros.

Novas funcionalidades

Em setembro de 2015, entrevistei o presidente mundial da Acer, Jason Chen. Para o executivo, a aplicação dos vestíveis à saúde vai se massificar quando os dispositivos ganharem novas funcionalidades, como a capacidade de medir a pressão e a taxa de glicose no sangue.

“Em até três anos, acho que teremos medição de pressão. A taxa de glicose deve demorar um pouco mais tempo. As pessoas realmente precisam disso”, disse Chen naquela ocasião.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A multinacional brasileira, fundada por Marco Stefanini, promove seu primeiro hackathon no Rio / Renato Cruz/inova.jor

Stefanini promove hackathon sobre telecomunicações no Rio

A Stefanini vai promover, em 19 de janeiro, seu primeiro hackathon no Rio de Janeiro. As inscrições terminam em 15 de janeiro. Com até cinco integrantes, as equipes terão como objetivo encontrar uma solução criativa e economicamente viável para melhorar a experiência do usuário de telecomunicações. A equipe vencedora receberá[…]

Leia mais »
No ano passado, as mulheres já eram 40% da força de trabalho da Accenture / Divulgação

Accenture quer 50% de mulheres na força de trabalho até 2025

A Accenture tem como objetivo chegar a 2025 com metade de sua força de trabalho formada por mulheres. Atualmente, a empresa emprega 150 mil mulheres, o que corresponde a quase 40% de sua força de trabalho global. No ano passado, as mulheres já foram 40% das contratações da consultoria e[…]

Leia mais »

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami